Meio Bit » Baú » Internet » Assim como o Orkut, Hangouts pode nadar e morrer na praia

Assim como o Orkut, Hangouts pode nadar e morrer na praia

Com o passar dos anos e o avanço dos concorrentes, se não receber um socorro rápido do Google, o Hangouts se tornará, em um futuro breve, um novo Orkut

22/04/2015 às 21:40

hangouts_naufragando

Em um passado não muito distante, vimos o que acontece quando uma grande empresa domina uma determinada área sem ser importunada por concorrentes que, ao menos em um primeiro momento, demonstrem poder quebrar a sua hegemonia. Obviamente que estou falando do Orkut.

Mesmo vendo um de seus produtos mais populares (no Brasil) indo da glória ao fracasso, o Google parece não ter aprendido muito com a derrocada da rede social e continua ignorando concorrentes diretos de alguns de seus serviços, como, especificamente no caso deste texto, o Hangouts.

Ao longo dos últimos anos, temos visto serviços de instant messenger se tornando cada vez maiores (tanto em número de usuários, quanto em número de mensagens trocadas) e o sucessor do Gtalk continua praticamente estagnado, tendo recebido pouquíssima atenção da empresa desde o seu lançamento no Google I/O de 2013.

Seguindo o caminho inverso da gigante das buscas, seus concorrentes têm investido pesado em seus IMs. Numa olhada rápida do outro lado da rua, se destacam o Messenger e WhatsApp (ambos do Facebook), Telegram e Viber. Todos eles, sem exceção, receberam robustas atualizações nos últimos meses, como disponibilização de uma versões web e adição chamadas de áudio, entre outras novidades.

Utilizo o aplicativo de mensagens do Google desde que criei a minha conta no Gmail, isso lá no começo de 2005. Há dez anos, não consigo me recordar de nenhuma grande novidade adicionada ao serviço (com exceção do Hangouts On Air, mas ele é praticamente um serviço distinto).

Em pleno ano de 2015, o serviço de IM de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo não conta com um sistema interno de pesquisa, tampouco a possibilidade de o usuário, ao acessar uma determinada conversa, saber qual foi a última mensagem lida. São coisas tão básicas, mas tão básicas, que juro não entender como o Google nunca as implementou. E, definitivamente, não é por um “desaquecimento de mercado”.

Nesta quarta-feira, durante a divulgação do último balanço financeiro da empresa, o Facebook divulgou alguns números de seus IMs. Segundo a companhia, o Messenger responde por 10% das chamadas de voz (VoIP) mundiais. O serviço conta com 600 milhões de usuários, enquanto o WhatsApp tem meros 800 milhões de usuários. Para finalizar, o Facebook afirma que os usuários da rede social, do Messenger e do WhatsApp trocam, diariamente, 45 bilhões (45.000.000.000) de mensagens. Sim, só isso.

A menos que a empresa esteja planejando uma grande atualização para o serviço de instant messenger, que poderá ser anunciada durante o Google I/O 2015, o Hangouts se tornará, em um futuro muito breve, o Orkut do mensageiros.

Acorda, Google!

relacionados


Comentários