Meio Bit » Baú » Engenharia » Nem sempre água DENTRO do navio é algo ruim

Nem sempre água DENTRO do navio é algo ruim

Dizem que água só é bom do lado de fora dos navios, mas há ocasiões em que ela é legal do lado de dentro. Afinal, que tiração de onda maior do que ter uma piscina num submarino?

07/04/2015 às 10:30

power

Nos velhos tempos muitos marinheiros eram recrutados em prisões e tribunais não como uma segunda chance, mas pela vida naval ser igual ou pior que a maioria das prisões. Marinheiros eram brutalmente espancados, viviam à mercê dos oficiais e havia uma punição especialmente brutal:

O sujeito era amarrado pelos braços, colocado na frente do navio e outros puxavam as cordas, dos dois lados. O marinheiro era “quilhado”, ou seja, passava por baixo da quilha do navio, pelo leme e se sobrevivesse, podia voltar a bordo.

Com o tempo servir embarcado deixou de ser punição e se tornou uma carreira, mas nunca foi exatamente confortável. O espaço pessoal é mínimo. Em submarinos a cama é quentinha pois você divide com outros 2 sujeitos (em turnos) ou, nos velhos diesels, porque você dorme em cima de um torpedo. Mesmo assim para manter a moral as Marinhas tentam garantir algum conforto.

A cozinha dos submarinos é legendária, principalmente os ingleses e norte-americanos, a hora da bóia é ansiosamente esperada. Já os russos quando podiam caprichavam não só na comida mas nas acomodações.

Nos submarinos classe Tufão, por exemplo, havia espaço. Veja o tamanho do bicho:

Sov_Proj_941_Akula_TK-17_Archangelsk_003

Com 48.000 toneladas de deslocamento e 175 metros de comprimento esse monstro leva 160 marinheiros em missões que duram meses. Por causa disso combater o stress é essencial. O Tufão tem além daquela cozinha de primeira, academia de ginástica, viveiro de pássaros, um aquário (até porque marinheiros russos não são gays), sauna e… uma piscina.

sunmarines56720

Aqui um vídeo da piscina e outras amenidades:

FayettevilleMan — Typhoon class submarine...living large in a submarine...checkout the indoor swimming pool

O curioso é que por obra do destino piscina a bordo não é algo exclusivo dos russos ou da 3ª Classe do Titanic. O USS New Jersey, ou encouraçado da 2ª Guerra Mundial também ofereceu esse luxo a seus tripulantes.

Lançado em 1942, o New Jersey foi descomissionado em 48, reativado em 1950, descomissionado de novo em 1957 e re-comissionado em 1968, sob o comando do Capitão J. Edward Snyder, Jr. Em plena Guerra do Vietnã o dia-a-dia não era exatamente leve, e uma chance de diversão era mais que bem-vinda.

O Capitão Snyder percebeu que duas baias de artilharia de 40 mm, deixadas vazias depois da última reforma, podiam ser aproveitadas. Mandou pintar de azul, vedar e encher com água purificada das caldeiras do navio.

O NJ ganhou duas piscinas, pra deleite da tripulação.

t1yan3k3kibfowdh6jgb

A água das caldeiras era limpa e filtrada, mas meio marrom, isso deixou os marinheiros desconfiados. Para provar que não era pegadinha, o próprio Capitão Snyder botou um calção e entrou na piscina, desfrutando de guerra, sombra e água fresca.

nj

Guerra é algo horrível e ninguém deveria passar por isso, mas se é inevitável, relaxe e aproveite…

Fonte: Foxtrot Alpha.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários