Meio Bit » Baú » Hardware » Já era esperado: smartwatches são piores que smartphones no trânsito

Já era esperado: smartwatches são piores que smartphones no trânsito

Alguém ainda tinha dúvida?Pesquisa revela que a combinação smartwatches + volante é ainda pior do que dirigir utilizando smartphones

16/03/2015 às 13:30

distractions

A gente sabe o quão prejudicial pode ser se distrair em trânsito, e desde que os celulares se tornaram populares essa é uma preocupação pra lá de válida. Eles sempre foram verdadeiras bombas e quando evoluíram para smartphones a situação só piorou: todos queremos fazer tudo ao mesmo tempo, sejam os motoristas ou os pedestres, e a combinação dos fatores resulta em muitos acidentes, às vezes com vítimas fatais.

Só que um estudo recente revelou uma ameaça ainda maior: smartwatches podem ser fontes de distração ainda piores que os smartphones.

Muita gente tem curiosidade em utilizar um relógio esperto, seja um Apple Watch, um Android Watch, um Peeble ou outro dispositivo que o valha, mas é fato que ele pode tirar o foco do usuário do que ele estiver fazendo; principalmente se ele estiver dirigindo. O Transport Research Laboratory conduziu uma pesquisa para verificar o quão perigoso pode ser um relógio esperto para quem dirige e os resultados foram reveladores.

Em média, um motorista que está conversando com o carona leva 0,9 segundo para reagir a uma emergência, já se estiver utilizando o smartphone o tempo sobe para 1,85 segundo. Agora, o motorista estar verificando notificações em seu smartphone é uma receita para um desastre: o tempo de reação é de 2,52 segundos, o que no trânsito pode ser uma eternidade e a diferença entre sair ileso de um acidente e ir parar no hospital, ou pior.

O grande problema nisso tudo é saber que não há uma legislação específica, em nenhum lugar que impeça o uso de smartwatches ao volante, até porque teríamos que ser radicar e impedir que os motoristas usassem relógios comuns também. Mesmo as leis que banem o uso de celulares enquanto se dirige não são respeitadas em lugar nenhum do planeta. Como proceder então?

O ideal seria que tivéssemos softwares que bloqueassem o uso durante o deslocamento. A Honda tem feito estudos a respeito desde 2013, desenvolvendo um sistema que leva em conta tanto o motorista quanto o pedestre distraído com seu smartphone, pois ele também tem uma parcela de culpa ao enfiar a cara no aparelho e não olhar por onde anda. Aplicar o conceito a smartwatches seria simples, já que na maioria ds vezes ele funciona como um hub do smartphone, basta bloquear um e o outro não funciona também.

A chave é convencer o usuário a instalar o app, pois isso é para seu próprio bem e de outros. Não é fácil, mas se no futuro tivermos cada vez mais pessoas com relógios espertos dirigindo, é algo que precisar

Fonte: HP.

relacionados


Comentários