Meio Bit » Baú » Hardware » LG G3 tem boost na performance com resolução restrita a Full HD

LG G3 tem boost na performance com resolução restrita a Full HD

Quer saber o quanto um display Quad HD custa a um smartphone? Veja o quanto a performance do LG G3 melhorou ao ter resolução derrubada para 1080p

18/02/2015 às 13:30

lg-g3

Eu já disse antes e repito: display Quad HD em smartphones é um exagero desnecessário e a culpa dessa corrida atrás das menores telas com a maior resolução possível é da LG. Foi ela que introduziu em 2013 um protótipo de tela de 5,5 polegadas finíssima com a dita resolução de 2560 × 1440 pixels, e pouco tempo depois nos apresentou o G3, um aparelho excelente mas com uma tela que é um despropósito.

A partir daí Full HD no bolso virou coisa do passado. Veio o Moto Maxx, o Nexus 6 e recentemente o rumor de que a própria LG está preparando um novo high-end com display 3K. Só que vem a pergunta: o quanto que uma resolução dessas compromete a performance geral de um smartphone?

Foi o que o pessoal do Phone Arena estava disposto a descobrir, e os resultados são no mínimo… interessantes.

Eles pegaram uma versão sul-coreana do G3, que conta com 3 GB de RAM (diferente do modelo que veio pra cá, com apenas 2 GB) e fizeram um wipe completo nele, removendo até mesmo o sistema operacional. A partir daí colocaram a ROM original do G3 de junho de 2014, sem Android 5.0 Lollipop e instalaram todos os updates via OTA. Então rodaram o AnTuTu Benchmark e captaram a performance geral do aparelho, como se ele tivesse sido retirado da caixa naquele momento. Carregaram a bateria até 100% e deixaram zerar para ver quanto tempo levaria, um teste completo.

A partir daí começou a brincadeira: o aparelho foi rooteado para permitir a instalação do app Nomone Resolution Changer, que faz exatamente o que o nome sugere: muda a resolução do display. Dito isso a quantidade de pixel foi reduzida para uma resolução Full HD. Embora não seja um match 1:1 em relação ao Quad HD (cada pixel foi esticado para ocupar o espaço de dois ou mais originais), os resultados foram satisfatórios:

tabela

Algo que derrubou muita gente do cavalo foi ver que o ganho na bateria não foi suficientemente significativo para que ele seja o principal motivo de torcer o nariz para telas Quad HD. Já a geração de gráficos 3D e a pontuação geral no AnTuTu subiu, e muito. E claro, sem uma perda significativa na resolução, algo que se perceba a olho nu.

O que isso significa? Que as fabricantes podem ganhar mais se focarem os esforços em entregar aparelhos verdadeiramente potentes sem precisar se preocupar com uma tela de resolução absurda. Por outro lado, a desculpa da bateria não se aplica já que o ganho de autonomia foi ridículo.

Fonte: PA.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários