Meio Bit » Baú » Hardware » Da série “toda boa ação tem sempre uma punição”

Da série “toda boa ação tem sempre uma punição”

Outro dia outro esquema que não dá certo, na melhor das intenções. Dessa vez, um programa de anistia e compra de armas pela polícia. Sim, o pessoal aproveita para… desovar o lixo, e até “armas” feitas pra isso.

31/12/2014 às 10:31

540104f318b4438c939ce1c4a9246316

“Não, amigo, esta não é uma AK-47

Dizem que aqueles que se esquecem da História estão condenados a repeti-la. É uma grande verdade. Vale também para Economia. Por isso toda hora algum prefeito de interior tem uma idéia brilhante, não pesquisa e vê seu lindo projeto ir por água abaixo.

Existe um negócio chamado Lei da Oferta e da Demanda. Por isso existem mais prostitutas mulheres do que homens, pense bem: racionalmente faria muito mais sentido para homens, que introduzem seus bigurrulhos em qualquer coisa, fazer isso faturando uns trocados. Problema: não há demanda, mas se amanhã uma nave alienígena com milhares de alpacas alienígenas dispostas a fazer sexo com homens humanos pousasse, até o final do dia sites inteiros já estariam anunciando os serviços do Bruno Surfistinha.

Oferta. E Demanda.

Por isso projetos bem-intencionados como o de anistia para armas não funciona. A China já tentou. O Brasil já tentou e toda semana algum prefeito tenta de novo. Você oferece um dinheirinho em troca de ratos. A idéia é que as pessoas caçarão os roedores, a população deles diminuirá, menos doenças, todos felizes. Só que as pessoas preferem o caminho mais fácil. Invariavelmente alguém acaba criando ratos para vender.

Foi o caso de um sujeito do 4Chan (onde mais?) que resolveu aproveitar que a cidade estava fazendo um daqueles programas de compras de armas. A idéia é tirar armas das ruas, comprando, sem fazer perguntas. Na prática a maioria das armas não estava nas ruas, mas guardadas nos sótãos.

Mesmo se todo mundo jogar limpo, a eficiência do programa é questionada por estudos, mas se gente como nosso amigo do 4Chan entra na jogada, piora. Ele levou uma sacola de “armas” feitas com cano e madeira, US$ 6,00. Por azar o policial que estava tomando conta desconfiou, e acabou não aceitando.

64456234681improguns-660x371

slambangimprovisedshotgun-1

Nem sempre é assim. Essa “pistola” rendeu US$ 100,00 em junho/2014:

22zipgun784568-390x294

E piora. Um dos leitores do Firearms Blog conta que uma vez comprou um monte de fuzis velhos enferrujados por US$ 10,00 cada, que se tornaram US$ 100,00 a unidade na banca da polícia. Outro diz que uma loja na cidade dele vendia pistolas velhas, pré-1898 (que não precisam de registro) não-funcionais, caixa com 20 ou 30 por US$ 30,00. Especialmente para os programas de compra da polícia.

Tirar armas das ruas é uma ótima política, mas ninguém quer começar pelas ilegais, dá trabalho e o sujeito na outra ponta em geral não coopera, aí surgem esses projetos absolutamente inócuos, que fingem que estão fazendo alguma coisa.

Nessa brincadeira já teve departamento de polícia pagando US$ 100,00 por um lançador de mísseis Stinger, um tubo vazio descartável e inútil depois de usado, que custa US$ 10,00 em lojas de excedentes militares.

LAPD-Rocket

É claro que todo sistema vai ter alguém que se aproveite, mas quando ele se baseia em um modelo que estimula ganância não dá certo, mas quem se preocupa? Temos a ameaça das Armas 3D ocupando as manchetes…

Fonte: TFB.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários