Meio Bit » Arquivos » Hardware » Crise forçará Samsung a lançar menos smartphones em 2015

Crise forçará Samsung a lançar menos smartphones em 2015

Após inundar o mercado com smartphones demais, crise força Samsung a reduzir lançamentos em 2015, se focando em modelos capazes de conter o avanço chinês

19/11/2014 às 11:00

galaxy-note-4-note-edge

Demorou, mas finalmente a Samsung está pagando por sua própria arrogância. Por anos a empresa acreditou piamente que seu posto como maior representante do Android permaneceria inabalado, levando a um desleixo total: uma interface horrível, produtos duvidosos despejados todos os dias no mercado e preço elevado em comparação aos concorrentes, que evoluíram a passos largos.

Tudo isso levou à situação atual em que os lucros caíram vertiginosamente: a divisão mobile se tornou pela primeira vez na história menos lucrativa que a de semicondutores, por culpa dela mesma. Agora resolveram correr atrás do prejuízo, e uma das medidas para conter a crise será reduzir o número de lançamentos de smartphones em 2015.

Embora venha sofrendo concorrência pesada de rivais como LG e Motorola, que se focaram em poucos dispositivos mas de qualidade para conquistar o consumidor (principalmente a segunda, que conta com apenas quatro produtos atualmente para perfis de consumidores bem distintos), quem está dando mais dor de cabeça para a Sammy são companhias chinesas como Huawei e Xiaomi, que estão canibalizando o mercado de dispositivos de entrada e intermediários no oriente.

Com produtos melhores e mais baratos, as linhas mais em conta da fabricante sul-coreana e mesmo os dispositivos top da linha Galaxy estão perdendo tração, embora esses últimos principalmente pelo fato de que os preços são altos para o que oferecem: quase nada diferente em relação a seus concorrentes. E isso porque estamos considerando apenas o mercado exterior; por aqui a Samsung Brasil se convenceu que seus Androids de ponta são símbolos de status tal qual como o iPhone; entretanto, onde a Apple teve êxito a Samsung falha miseravelmente, e as vendas do S5 e do Note 4 não estão lá essas coisas; também, com o Novo Moto X por R$ 1,5 mil...

Conclusão: a Samsung pretende cortar em até 30% a linha de dispositivos, principalmente aparelhos de entrada para se concentrar em modelos bons o bastante para conter o avanço dos chineses. Porém a Sammy precisa urgente dar um tapa no visual de seus smartphones, principalmente no que diz respeito à interface TouchWiz. O usuário gosta de novidade, e pelo menos desde 2012 seus modelos não tiveram mudanças significativas de design e funcionalidades. Isso posto, caso a companhia da Pior Coreia não tire um coelho da cartola logo, mesmo sua liderança no mercado de Androids pode estar ameaçada.

Fonte: WSJ (paywall).

relacionados


Comentários