Meio Bit » Baú » Internet » Imposto sobre Internet - ou: como se diz Idéia de Jerico, em húngaro?

Imposto sobre Internet - ou: como se diz Idéia de Jerico, em húngaro?

Dizem que as únicas certezas da vida são a morte e os impostos. Ou só os impostos se você for um McLeod. Bem, uma outra certeza é que os governos vão inventar um jeito de tungar mais dinheiro da gente. Agora foi a Hungria, que cismou de cobrar imposto sobre gigabyte trafegado em internet. Legal, né?

27/10/2014 às 14:45

b6a53758c65da84308e8dcdfb4c7483d9072b0bf

Políticos fazem todo tipo de coisas idiotas, como invadir a Rússia no inverno ou pegar bebês no colo, sabendo que vão ser molhados por eles, mas raramente conseguem pisar na bola como o governo da Hungria.

Lá como cá eles tentam compensar a incompetência em gerir as contas públicas aumentando impostos, e lá como cá odeiam tecnologia, então também metem a faca em telecomunicações. Desde 2010 vários impostos extras surgiram, como taxas sobre minutos extras em ligações de voz e até impostos sobre cada SMS enviado. Agora chegaram ao fundo do poço, ou melhor, ao fundo do tacho: baixaram uma Lei onde cobrarão 150 Forints Húngaros, equivalente a R$ 1,50 por cada gigabyte transferido pelos internautas húngaros.

O resultado? Isto aqui:

zdanee — Hungarian protest against planned Internet Tax

Manifestações pesadas, uma página no Facebook com mais de 200 mil seguidores organizando…

A expectativa do governo, que tem maioria de 2/3 do parlamento e está no segundo mandato, é arrecadar pelo menos R$ 950 milhões com o imposto sobre internet, o que pra Hungria é dinheiro. Dinheiro demais, o faturamento combinado de todos os provedores do país é de R$ 1,6 bi.

Os usuários querem sangue. Dizem que já são tributados e muito no preço dos equipamentos e das assinaturas dos planos. Esse aumento tornaria proibitivo o acesso para muita gente.

00132602

O Governo deu uma recuada com as manifestações e promete uma emenda limitando a cobrança a um teto de R$ 7,00 mensais. Por mais que não seja um país pobre, a maior parte dos usuários afetados é de estudantes, um bicho notoriamente duro em qualquer parte do mundo. Deixar essa gente sem acesso é um benefício extra para o Fidesz, o partido conservador atualmente no poder.

Só espero que o pessoal por aqui não fique de olho grande, até porque dá até pra aproveitar a sigla, e lançar a Contribuição Provisória de Monetização do Facebook.

Fonte: WSJ.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários