Meio Bit » Baú » Hardware » Nova Iorque Contra o Crime, agora movida a Android

Nova Iorque Contra o Crime, agora movida a Android

Departamento de polícia de Nova Iorque vai equipar agentes com 41 mil dispositivos Android, como forma de tornar o combate ao crime mais eficiente e ágil

27/10/2014 às 13:30

android-police

A polícia de Nova Iorque tem dado alguns passos em direção à modernização de suas operações nos últimos tempos, de modo a tornar o combate ao crime mais eficiente. Depois de testar o Google Glass em campo, agora o departamento apresentou o NYPD Mobility Initiative, um programa que vai equipar os oficiais da lei com 41 mil dispositivos Android, entre smartphones e tablets.

A ideia é segundo o comissário William J. Bratton é "modernizar a polícia de Nova Iorque para o século 21". O programa consiste em fornecer 35 mil smartphones e equipar viaturas com 6 mil tablets, de modo a manter os policiais o tempo todo conectados com a base de dados do departamento, acessando facilmente chamados, banco de criminosos, cartazes de procurados e outros serviços. De fato, a interação dos policiais da Big Apple com o Android não é algo tão novo, já que desde o ano passado o NYPD possui um app dedicado para uso dos mesmos. Os aparelhos virão com apps como um sistema de vigilância que dá acesso a feeds de diversas câmeras, acesso rápido e constante ao serviço 911, entre outros.

Para o comissário Gordon Bratton, é essencial que os policiais tenham acesso a informações atualizadas em tempo real a qualquer momento para que possam combater o crime de forma mais eficiente. O Google Glass também entraria nessa categoria, ao permitir que os policiais possam identificar suspeitos simplesmente olhando para eles. Muita gente questiona essa última abordagem (até órgãos internos devido o fato do Google estar no meio coletando dados), mas é evidente que cada vez mais a polícia vai se equipar para se tornar mais ágil, e não só pode como deve fazer isso, porque a bandidagem não dorme no ponto.

O programa custará US$ 160 milhões, sendo que US$ 90 milhões serão bancados pelo BNP Paribas, o maior banco francês e que deve US$ 8,83 bilhões ao estado por ter violado sanções norte-americanas.

Fonte: NYC.

relacionados


Comentários