Meio Bit » Baú » Ciência » Quer uma carona até a ISS? A SpaceX e a Boeing topam

Quer uma carona até a ISS? A SpaceX e a Boeing topam

A partir de 2017 os astronautas da NASA terão que usar vôos comerciais de empresas privadas. Vai dar problema com a bagagem, certeza.

18/09/2014 às 9:16

6_dragonv2

Dragon v2 é igual a primeira, só que melhor 🙂

Damas e caballeros, temos um vencedor. Aliás não um, mas dois. Anteontem (16/09) a NASA anunciou que duas empresas privadas serão responsáveis por transportar os seus astronautas para a Estação Espacial Internacional (International Space Station, ISS), começando em 2017. Os espólios vão para a Boeing e para a SpaceX.

As duas companhias assinarão contratos com a NASA para desenvolver seus programas espaciais e espaçonaves que deverão levar e trazer os astronautas da ISS. A Boeing receberá US$ 4,2 bilhões para construir a CST-100, um projeto em que eles vem trabalhando há quatro anos, enquanto a SpaceX receberá US$ 2,6 bilhões para desenvolver uma atualização para a Dragon, nomeada Dragon V2, pois a espaçonave atual já é usada para transportar cargas entre a Terra e a ISS.

A parceria faz parte de um programa da NASA para incentivar o desenvolvimento de uma indústria espacial americana. A ideia é fazer com que as viagens ao espaço sejam seguras e baratas e ao que parece as empresas privadas já haviam provado a algum tempo que conseguiam enviar foguetes para o espaço por uma fração do preço.

O mais importante porém é que o desenvolvimento desse programa coloca uma data de validade na dependência norte-americana dos foguetes russos para poder chegar a estação espacial. Apesar de eles não estarem se estapeando por causa disso, a sensação de incômodo diplomático sempre existe. Além disso, as caronas na Soyuz não saem baratas, cada uma custa em média US$ 70 milhões.

Apesar de ainda não ter estimativas de quanto as viagens custarão, a Agência Espacial Americana acredita que o valor deve ficar em menos da metade das cifras pagas aos russos. Economia com um belo afago no ego.

Fonte: PS.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários