Meio Bit » Baú » Games » Criador do Garry's Mod defende venda da Mojang

Criador do Garry's Mod defende venda da Mojang

Para o criador do Garry's Mod e Rust, decisão do Notch de vender a Mojang foi acertada e se tivesse a oportunidade, faria o mesmo. Você não?

17/09/2014 às 14:30

minecraft

Esta semana a indústria de games foi sacudida com a confirmação de que a Mojang seria comprada pela Microsoft e enquanto alguns não tem poupado críticas a decisão de Markus "Notch" Persson, que por tanto tempo reclamou da gigante de Redmond, Garry Newman não teve medo de defender o “colega de profissão”.

Em um post em seu blog, o criador de sucessos como Garry's Mod e Rust disse que se tivesse a oportunidade faria o mesmo e deu alguns motivos para pensar desta maneira, como por exemplo o fato de que a partir do momento em que você começa a contratar funcionários, tudo muda.

Citando casos de empresas maiores que faliram - como a Blitz Game Studios - e não tiveram o menor receio de mandar centenas de pessoas embora, para logo depois aparecer com outro nome, o game designer afirmou que ter funcionários sob a sua responsabilidade faz com que qualquer decisão que tome deixa de afetar apenas a sua vida, afinal eles também possuem família e o negócio envolvendo a Mojang deve ter feito com que não somente o alto escalão do estúdio tenha ficado em boas condições financeiras.

Além disso, Newman acha que este é o tipo de proposta irrecusável, pois o jogo estará em mãos relativamente seguras, o dinheiro é suficiente para garantir o futuro de todos que faziam parte da Mojang e ainda deixou uma pergunta que todos deveriam responder: “Você diria seriamente que teria feito diferente?

Bom, eu respeito o sentimento dos fãs, acho sim que o Notch sempre falou demais e por diversas vezes agiu arrogantemente, mas estou de pleno acordo com Garry Newman. Na verdade o criador do Minecraft nem precisava do dinheiro, o jogo já havia lhe rendido uma boa grana, mas como ele não terá que trabalhar sob as asas da Microsoft, talvez tenha realmente preferido se libertar de um fardo pesado demais para carregar.

Mas sejamos francos. Por mais que os US$ 2,5 bilhões não fiquem todo com ele, o sueco certamente levou em consideração o caminhão de dinheiro que apareceria na sua conta e que não terá que se preocupar em como pagará a conta de luz no fim do mês (não que se preocupasse antes, mas enfim…) e se ele de fato não queria ter que continuar se dedicando a algo tão grande, agora poderá passar o resto da vida criando joguinhos que provavelmente não chamarão a atenção de ninguém.

relacionados


Comentários