Meio Bit » Baú » Ciência » Um procedimento trivial: formatar a memória da sonda Opportunity

Um procedimento trivial: formatar a memória da sonda Opportunity

Após 10 anos de missão, a sonda Opportunity terá sua memória volátil formatada em uma tentativa de corrigir os constantes reinícios que ela tem sofrido no último mês.

01/09/2014 às 18:32

A sonda Opportunity em Marte (simulação da NASA).

A sonda Opportunity em Marte (simulação da NASA).

Qualquer um que já teve que atualizar o software de um equipamento eletrônico, seja um modem, um roteador doméstico ou um smartphone sabe que existe a “hora do medo”, aquele momento em que você sabe que já fez todos os preparativos, mas quando apertar “Enter”, bate aquele pequeno desespero por não saber se o processo vai terminar bem e tudo vai funcionar ou a coisa vai degringolar e transformar o seu querido aparelho em um peso de papel caro.

Agora imagine o que deve passar pela cabeça da pessoa na NASA que vai apertar o botão para formatar a memória da sonda Opportunity. O procedimento será uma tentativa de resolver uma série de erros que fizeram a sonda parar de trabalhar e tem se repetido com alguma frequência ao longo do último mês.

A sonda, que está com mais de 10 anos de idade (rolou até festa quando a Curiosity chegou por lá) e já superou em muito o tempo estimado para a missão, teve que se reiniciar várias vezes por causa do que a NASA acredita ser um problema de desgaste da memória flash onde os dados são armazenados. Partes da memória flash podem se desgastar após muitos ciclos de gravação/regravação e é possível que a sonda esteja tentando usar exatamente essa parte da memória problemática.

Formatar a memória da Opportunity vai fazer exatamente o que você está pensando, marcar as partes ruins para que elas não sejam mais usadas. A NASA diz que é um procedimento simples e que toda a memória será copiada para os servidores do projeto antes da formatação em si acontecer, no que deve ser o backup mais longo já feito na nuvem! 🙂

É a primeira vez que a nossa querida sonda, que está a 125 milhões de quilômetros de casa, terá sua memória formatada, mas não é a primeira vez que a NASA faz isso. A Spirit já passou por um procedimento semelhante após cinco anos de missão e saiu relativamente incólume, tendo perdido apenas aquelas fotos dos aliens no processo.

A coisa toda deve acontecer no mês que vem, mas independente da quantidade de checagens de segurança que a equipe deve levar a cabo antes do momento fatídico, aposto que o engenheiro deve apertar o botão e fechar os olhos em uma prece silenciosa. Como naquela vez que o firmware da Curiosity foi atualizado.

Fonte: The Verge.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários