Meio Bit » Baú » Áudio e vídeo » Artista “lesado” apoia YouTuber por infração de copyright

Artista “lesado” apoia YouTuber por infração de copyright

Guerra do Copyright: gravadora exige US$ 150 mil por música usada por YouTuber em seus vídeos; nem artistas representados ficaram a favor da ação

23/07/2014 às 13:31

michelle-phan

Michelle Phan é uma YouTuber bem conhecida. Seu canal focado em reviews de produtos cosméticos e maquiagens possui mais de seis milhões de inscritos e seus vídeos não raramente ultrapassam a marca de mais de um milhão de visualizações. E é óbvio que como se trata de um usuário que atrai muitos espectadores e querendo ou não movimenta uma quantidade considerável de dinheiro através de patrocínios, alguém daria um jeito de tentar incomodar. No caso uma gravadora alinhada à infame indústria do coryright.

A acusação vem da Ultra Records. Ela alega que a YouTubers fez uso inapropriado de 50 canções que ela detém os direitos. O mais curioso nessa história é que todos os vídeos dão os devidos créditos em seus vídeos, que usam trilhas de artistas como deadmau5, Calvin Harris e Kaskade. Mesmo assim a gravadora não quis saber: ela busca compensação na justiça de US$ 150 mil por ocorrência, o que dá absurdos 7,5 milhões de dólares. Segundo um porta-voz de Phan, a Ultra Records havia concordado em ceder o uso das músicas, e avisa que ela “vai entrar nessa briga”.

O que acontece aqui é o velho olho gordo. Pahn fechou acordos de divulgação com marcas de cosméticos como Lancôme e L'Oreal, portanto fica evidente que a Ultra Records busca arrancar dinheiro de forma indecente, já que havia aceitado através de um acordo ceder o uso das músicas. Mesmo artistas defendidos pela ação estão contra a gravadora. Através do Twitter, o músico Kaskade deixou claro que não está processando a YouTuber (dificilmente os próprios artistas se envolvem em ações contra uso de suas músicas no YouTube; foi o que aconteceu quando a conta do Nick foi encerrada, em que representantes de uma certa banda desferiram três strikes consecutivos sem possibilidade de negociação) mas não pode fazer nada além de dar seu apoio à Phan, já que uma vez negociados, os direitos são da gravadora e não do artista. E por causa disso ele mesmo completa: “a lei de copyright é um dinossauro”.

A gente sabe, a indústria do copyright é como um câncer. Infelizmente quem possui os direitos e o dinheiro é quem detém a razão, e o Google não faz o menor esforço para defender seus usuários, já que eles são o elo mais fraco da corrente. E não adianta fugir para o concorrente.

Fonte: AT.

relacionados


Comentários