Meio Bit » Baú » Hardware » Microsoft reconhece que os Chromebooks são uma ameaça

Microsoft reconhece que os Chromebooks são uma ameaça

Microsoft resolve entrar no mercado de ultrabooks baratos visando recuperar o terreno absorvido pelo Google e seus Chromebooks

15/07/2014 às 11:05

chromebook

Quando eu comentei que a Microsoft estava se valendo do FUD para desacreditar o Chromebook, sob a premissa de Redmond estar preocupada com os ultrabooks do Google estarem lentamente se estabelecendo no seu principal mercado, muita gente disse que por se tratar de Redmond todo mundo chama ela de malvada, ao contrário do que acontece com campanhas dos outros. o que as pessoas não lembram é que empresas se agridem umas às outras, com informações verdadeiras e falsas o tempo todo; vide a Apple e sua campanha "I am a Mac".

A Microsoft mentiu quando chamou o Chromebook de browser empacotado num ultrabook e máquina de spyware, pois ele funciona muito bem offline. Ficou claro que havia uma preocupação ali, e agora a empresa admitiu com todas as letras que vai bater de frente com o Google nesse form factor.

Ontem, durante a World Partner Conference 2014 o COO da Microsoft Kevin Turner revelou que a Microsoft está fechando parcerias com fabricantes para lançar até o fim do ano dispositivos Windows mais acessíveis, na mesma faixa de preço dos Chromebooks. Motivo? Em 2013 os ultrabooks do Google responderam por 10% da venda total de PCs nos Estados Unidos. Se focarmos apenas em notebooks, a porcentagem do market share sobe para 21%. O motivo é óbvio: cada vez mais os usuários percebem que o sistema operacional é irrelevante, quando o que eles querem é somente acessar a internet, ler e-mails e ver suas redes sociais, que querendo ou não são a maioria dos usuários. Some-se a isso a repulsa ao Windows 8 e o dinheiro curto, que os impede de adquirir um MacBook Air (cujo preços começam nos mil dólares) e pronto, você entende como as vendas dos Chromebooks tiveram tamanho boost.

A HP será uma das parceiras, ao lançar um modelo de ultrabook chamado "Stream" que custará míseros US$ 199. Turner não falou muito sobre ele, mas revelou detalhes dos modelos da Toshiba e Acer. O preço de ambos será de US$ 249, com configurações mais próximas das encontradas nos Chromebooks. Claro, a Microsoft volta a destacar coisas que os ultrabooks do Google não fazem, e repetindo a mentira que eles não funcionam offline.

windows-ultrabooks

A HP também pretende lançar versões de 7 e 8 polegadas do Stream na mesma época por US$ 99. Turner destacou que a Microsoft pretende participar do mercado de entrada, visto que o Google absorveu boa parte dele nos EUA por não ter concorrentes na mesma faixa de preço. Resta saber se vai dar certo, pois pelo visto a campanha "Scroogled" contra os Chromebooks vai continuar.

Fonte: TV.

relacionados


Comentários