Meio Bit » Arquivos » Ciência » Empresa britânica cria material tão escuro que não pode ser visto

Empresa britânica cria material tão escuro que não pode ser visto

Se esse material fosse utilizado para fazer um tradicional vestido preto da Chanel, a cabeça e os membros de quem o vestisse pareceriam flutuar ao redor de um buraco.

14/07/2014 às 20:02

Super Escuro

Uma empresa britânica acaba de produzir um material tão escuro que absorve 99,965% da luz visível, estabelecendo um novo recorde mundial. Olhar para o revestimento “super preto” feito de nanotubos de carbono (cada um deles 10 mil vezes mais fino que um fio de cabelo) é uma experiência estranha.

O material é tão escuro que o olho humano não consegue interpretar o que está vendo. O formato e os contornos desaparecem, deixando apenas um abismo aparente.

Se esse material fosse utilizado para fazer um tradicional vestido preto da Chanel, a cabeça e os membros de quem o vestisse pareceriam flutuar ao redor de um buraco.

As aplicações práticas são várias, permitindo que câmeras, telescópios e scanners infravermelhos funcionem de forma mais efetiva. Também há aplicações militares possíveis que o fabricante, Surrey NanoSystems, não pode divulgar.

O material, batizado de Vantablack, foi criado sobre uma lâmina de alumínio; se a lâmina for amassada, criando saliências e depressões, essas desaparecem na área coberta com o mesmo.

A imagem abaixo dá uma ideia do efeito:

Vantablack

Stephen Westland, professor de ciência das cores e tecnologia na Leeds University, afirma que o preto tradicional é na verdade uma cor e que agora os cientistas estão expandindo essa barreira:

Muitos pensam que o preto é a ausência da luz. Eu discordo disso. A menos que você esteja olhando para um buraco negro, ninguém jamais viu algo completamente sem luz. Esses novos materiais são basicamente o mais próximo do preto que se pode chegar, a coisa mais próxima possível de um buraco negro que podemos imaginar.”

O Vantablack será lançado no Farnborough International Airshow essa semana, e foi obtido através da união de uma infinidade de nanotubos, tão finos que a luz não consegue entrar dentro deles, apesar de passar no espaço entre os mesmos, daí não ser possível atingir os 100% de luz absorvida.

Fonte: The Independent.

relacionados


Comentários