Meio Bit » Arquivos » Games » Agência britânica proíbe Dungeon Keeper de ser chamado de jogo gratuito

Agência britânica proíbe Dungeon Keeper de ser chamado de jogo gratuito

Remake do Dungeon Keeper recebe mais um duro golpe, pois de acordo com uma decisão de uma agência britânica, agora a EA não pode mais dizer que o jogo é gratuito.

03/07/2014 às 17:00

dungeon-keeper

Que o remake do Dungeon Keeper foi um desastre, acho que ninguém discorda. Até mesmo a EA admitiu que errou ao tentar explorar o modelo de negócios de jogos gratuitos com ele, mas o que a empresa não poderia imaginar era que a agência de regulamentação de publicidade do Reino Unido se meteria na maneira como eles tem divulgado o título.

Segundo o comunicado emito pela ASA (Advertising Standards Agency), o problema estaria em um email enviado pela desenvolvedora aos seus consumidores, onde em determinado trecho podemos ler algo como “Obtenha o Dungeon Keeper para Mobile gratuitamente!”, pois para a entidade, ele não pode ser considerado gratuito.

Embora a EA tenha alegado que o título pode ser aproveitando sem gastarmos um centavo, a agência não se convenceu e criticou a propaganda por não deixar claro que o ele possui transações internas e principalmente, por ele possuir muitas limitações quando jogado sem gastarmos dinheiro.

Embora entendamos que o consumidor padrão possa apreciar que os jogos free-to-play contenham funções de monetização, nós consideramos que eles também esperam que uma experiência de jogo descrita como ‘gratuita’ não seja tão excessivamente restritiva.

Tanto para os muitos jogadores que atacaram ferozmente o remake quanto para a ASA, o tempo que devemos esperar para realizar novas ações é algo absurdo, caso não gastemos dinheiro, e por isso eles resolveram se intrometer na maneira como este Dungeon Keeper tem sido divulgado na região.

Essa decisão deverá fazer com que a palavra “Free” não seja mais mencionada quando a EA falar sobre o jogo e que deverá estar explicito que ele possui microtransações, algo que considero justo, mas será que muitos outros games também não deveriam receber o mesmo tratamento?

Pode ser que a agência britânica tenha aberto um belo precedente com este caso, mas não se iluda, isso não fará com que a estrutura dos jogos mudem, apenas colocará os marketeiros para trabalhar e logo eles surgirão com um termo que substitua o free-to-play.

Fonte: MCV.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários