Meio Bit » Baú » Games » EA diz porque a sua conferência estava cheia de protótipos

EA diz porque a sua conferência estava cheia de protótipos

Executivo da Electronic Arts diz porque empresa optou por mostrar artes conceituais e protótipos de suas jogos e estratégia parece ser fazer com que a editora tenha uma imagem mais simpática.

16/06/2014 às 14:30

Mirrors-Edge-2

Quando se trata das conferências realizadas na última semana durante a E3, a maior parte das pessoas concordam que a da Electronic Arts foi a mais fraca, pois embora a empresa tenha mostrado alguns jogos promissores, na maior parte das vezes isso aconteceu apenas através de artes conceituais e vídeos que pouco revelavam sua jogabilidade.

Mas por que a editora fez isso? Por que usar um evento tão grande para mostrar como seus jogos estão sendo desenvolvido? Pois o vice-presidente da EA Studios, Patrick Söderlund, deu a sua explicação para terem tomado este decisão. Veja só:

Poderíamos ter tomado o caminho de anunciar uma porção de propriedades intelectuais com filmes pré-renderizados e belos logotipos, ir ao Blur ou qualquer outro e pago um monte de dinheiro, mas decidimos que queríamos que as pessoas vissem como é fazer um jogo e fazer com que se envolvessem. Queríamos convidá-los ao processo de desenvolvimento de onde nossos jogos se encontram.

Fui a várias outras conferências para imprensa e eles escolheram a maneira antiga de se fazer isso. Gastam bastante dinheiro para fazer um trailer que não tem nada a ver com o jogo e colocam um logo na tela. Nós lhes mostramos como os jogos se parecem hoje, como funcionam e convidamos vocês ao mundo de como é fazer um jogo na EA. Pessoalmente acho que isso é muito legal.

Ok, o senhor Söderlund parece ter esquecido que para cada jogo anunciado pela EA, logo nos era apresentado uma CG sobre ele, redundância que ajudou a tornar a conferência mais entediante, mas no fundo gostei da explicação do executivo.

Evidentemente essa estratégia foi a maneira encontrada por eles para passar uma imagem mais simpática da empresa, mostrando-a quase como um estúdio independente e embora eu considere essa atitude válida, continuo achando que essa reformulação por qual a EA vem passando não pode ficar apenas nas palavras ou na venda de uma imagem de boazinha. O problema é que para termos certeza que a estrutura da editora será realmente afetada, teremos que esperar os próximos lançamentos e isso não acontecerá de um dia para o outro.

Fonte: Polygon.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários