Meio Bit » Baú » Filmes e séries » Netflix prevê a criação de canais personalizados no futuro

Netflix prevê a criação de canais personalizados no futuro

A meta é oferecer um canal diferente para cada usuário, atendendo desde quem tem um gosto mais popular até quem procura por nichos específicos.

05/06/2014 às 18:01

Netflix

A Netflix já é sem dúvida um gigante do entretenimento. Nos primeiros 3 meses de 2014 foram 6,5 bilhões de horas assistidas mundo afora, com uma receita de mais de um bilhão de dólares.

Na semana passada, na Semana da Internet em Nova Iorque, o CEO Reed hastings e o CPO Neil Hunt falaram sobre o futuro da Netflix e como eles pretendem usar os dados de seus usuários para se manter no topo do mercado. Dados, nesse caso, sobre o que as pessoas assistem e gostam. A ideia é personalizar as recomendações através de canais.

Segundo Hunt:

O futuro da Netflix depende de recomendações sob medida para seus usuários. Na nossa visão você não verá uma grade com uma infinidade de títulos. Ao invés disso você verá uma ou duas sugestões que se encaixam perfeitamente com o que você quer assistir dependendo de seu estado de espírito, de quem está assistindo com você, eu acredito que essa versão é possível.

Ele também falou sobre as limitações da TV tradicional, no que ele chamou de "tirania da grade", a maneira como os canais de TV organizam sua programação de forma fixa, em uma agenda de 24 horas, dando prioridade ao que é popular.

No caso da Netlix Hunt afirma que a meta é oferecer um canal diferente para cada usuário, atendendo desde quem tem um gosto mais popular até quem procura por nichos específicos.

O gosto dos usuários não deve, no entanto, influenciar as produções próprias da Netflix, cujos criadores, segundo Hastings, recebem total liberdade de criação para obter um produto final de qualidade superior.

Ele conta como exemplo quando contou a David Fincher, criador de House of Cards, que muitas pessoas pararam de assistir quando o personagem de Kevin Spacy mata um cachorro. Fincher pediu para nunca mais saber desse tipo de informação, para não influenciar no seu trabalho.

Fonte: Dataconomy

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários