Meio Bit » Baú » Games » Homefront: The Revolution terá mundo aberto e chegará em 2015

Homefront: The Revolution terá mundo aberto e chegará em 2015

Crytek acaba com o mistério e revela detalhes do Homefront: The Revolution, novo jogo da franquia que deverá chegar no ano que vem aos computadores, PlayStation 4 e Xbox One.

03/06/2014 às 10:00

Homefront-The-Revolution

O primeiro Homefront pode não ter se tornado um grande sucesso, mas a sua premissa sempre me pareceu bastante interessante. No jogo fazemos parte de um foco de resistência que tenta livrar os Estados Unidos de uma invasão norte-coreana e enxergando potencial nesta ideia - e na franquia como um todo, a Crytek aproveitou o fechamento da THQ para adquirir a marca.

Nós já sabíamos que um novo capítulo estava sendo feito e agora mais alguns detalhes da produção foram revelados, a começar pelo seu lançamento previsto para 2015 e a confirmação de que apenas o Xbox One, o PlayStation 4 e os computadores (incluindo Windows, Mac e Linux) receberão o jogo.

Conhecido como Homefront: The Revolution, dessa vez a história se passará na Filadélfia, quatro anos após a Coreia do Norte tomar a Terra do Tio Sam. Tendo sido transformada em um gueto, a cidade é patrulhada regularmente por drones e soldados, fazendo com que os moradores vivam em constante estado de terror.

O aspecto mais promissor dessa nova versão é que toda a ação se passará em um mundo aberto, com grupos se formando na área ao redor dos muros da cidade e os rebeldes tentando encontrar maneiras de enfrentar a superioridade tecnológica dos invasores. Segundo a desenvolvedora, nossas atitudes influenciarão diretamente no mundo a nossa volta e poderemos jogar a campanha sozinhos ou na companhia de amigos.

A Crytek também disse que o game fará com que os jogadores abusem de táticas de guerrilha, oferecendo confrontos não lineares onde teremos que saber a hora certa para realizar emboscadas, infiltrações e até mesmo atacar e bater em retirada. Por isso será fundamental recrutarmos aliados, construir bases e criar armas caseiras que possam nos ajudar na missão de derrotar os norte-coreanos.

Como o Homefront: The Revolution será feito com a poderosa CryEngine, acho que podemos ficar tranquilos quanto a qualidade visual do jogo, mas vamos ver se ele será capaz de apagar a impressão de irrelevância que o original deixou.

Fonte: CVG.

relacionados


Comentários