Meio Bit » Baú » Hardware » Solução antirroubo para caixa eletrônico: espirrar ácido no ladrão

Solução antirroubo para caixa eletrônico: espirrar ácido no ladrão

Longe de nós sermos contra soluções tecnológicas de combate ao crime, mas dessa vez exageraram. Num nível RoboCop de 1987. Um grupo de pesquisadores está propondo uma tecnologia de proteção para caixas eletrônicos que em caso de tentativa de roubo expele uma espuma superaquecida nos ladrões. Que tal colocar logo um ED-209 nas agências?

12/05/2014 às 13:38

stt

Uma das melhores coisas de Starship Troopers, fora esta cena deletada com a Denise Richards, que você só deve assistir em casa por ser NSFW e — já clicou, né? OK, eu espero.

Voltando: uma das melhores coisas de Starship Troopers é que os insetos foram extrapolados de criaturas reais, mesmo os mais improváveis, como o besouro-gigante espirrador de ácido. Ele é baseado no Besouro Bombardeiro, um bicho que desenvolveu uma arma química de respeito: ele armazena substâncias reativas em duas câmaras no abdômen. Quando ameaçado ele bombeia os componentes para uma terceira câmara.

Os compostos passam por uma reação exotérmica, rapidamente se aquecendo até quase 100 graus. A pressão e a temperatura aumentam até que a mistura é expulsa, em forma de vapor por uma abertura traseira que não é o que você pensa. A nuvem cáustica de alta temperatura mata a maioria dos inimigos e chega a ser dolorosa em humanos.

Inspirado nesse bicho adorável um grupo de pesquisadores suíços desenvolveu uma técnica “excelente” para proteger caixas eletrônicos.

A idéia, criada por um grupo que obviamente não estudou a sério os roubos de caixas eletrônicos, é desestimular os ladrões através de um dispositivo onde dois recipientes, um com dióximo de manganês e o outro do peróxido de hidrogênio sejam separados por uma membrana fina, mecanicamente frágil.

Um movimento brusco romperia a tal membrana, os compostos se misturariam, gerando uma espuma de altíssima temperatura. Direcionando para saídas na frente do caixa eletrônico, o sujeito seria borrifado e, enquanto gritasse “meus olhos! meus olhos!”, com as mãos semi-derretidas tentando limpar a cavidade das órbitas, removendo os restos dos globos oculares no processo, ele reconsideraria suas escolhas de vida e desistiria de uma carreira de crimes.

Não acho que haja risco dessa idéia ser implementada, mas me assusta saber que mesmo na Suíça há gente que ache uma idéia dessas algo sequer digno de consideração. Por outro lado é irônico ver que a Vida Imita a Sátira, e o RoboCop de 1987 não era tão exagerado assim.

http://youtube.com/watch?v=PzZ3kgDiDXc

Fonte: Time.

relacionados


Comentários