Meio Bit » Baú » Games » Controlando um drone com um Oculus Rift

Controlando um drone com um Oculus Rift

Alguns experimentos são equivocados mas nem por isso deixam de ser interessantes. É o caso desse pessoal que usou um Oculus Rift para controlar um drone. É a pior interface possível, mas ao menos serviu justamente para demonstrar que movimentos de cabeça não são a forma ideal de traduzir movimentos. Claro, a essência hacker foi preservada, pois o essencial é fazer algo apenas para descobrir se pode ser feito, e não por ser prático.

10/04/2014 às 9:11

The_Dreamatorium

A internet adora duas coisas: a “Tecnologia da Moda” e buzzwords. Quando ambas colidem em uma tempestade perfeita, o resultado costuma ser épico. Ao menos na mente das pessoas, claro.

Uma dessas tecnologias da moda que existe desde sempre é a Realidade Virtual. Todo mundo sonha com um holodeck, ou ao menos um dreamatorium. No final topamos até Minority Report, que na prática vira o Kinect, sofre um downgrade pra Leap Motion e ninguém usa.

Um dos brinquedos da moda é o tal Oculus Rift, um equipamento de realidade virtual e imagens 3D que luta desesperadamente para fugir do gueto de brinquedo de gamer. Tem conseguido, toda hora surge um projeto interessante usando o Rift, e os melhores trabalham com a prima pobre mas limpinha da Realidade Virtual, a Realidade Aumentada. Agora um pessoal está experimentando unir drones e Oculus Rift, criando uma ferramenta de telepresença (esse texto vai explodir de buzzwords).

O video do projeto é bem legal, mas há alguns poréns. Assista e continuemos:


Diego Araos — OculusDrone: Oculus Rift + AR Drone 2.0

A execução foi bem-feita, mas é uma das interfaces menos intuitivas do Universo. Nós fazemos o tempo todo movimentos autônomos com a cabeça, tentando identificar movimento e sons. Se alguém chama, a reação natural é virarmos a cabeça na direção da pessoa.

Toda nossa movimentação é feita com pernas. E sabe o motivo de termos uma coordenação excelente usando volantes, manches e joysticks?

É porque não faz muito tempo que paramos de usar os braços para saltar de galho em galho. O uso de telepresença em equipamentos militares não é novidade, em um Apache AH-64 o piloto utiliza um monóculo com realidade aumentada e quando ele gira a cabeça, o canhão de 30 mm acompanha.

Pilotar usando uma tela 2D é possível mas qualquer drone se beneficiaria muito de um Oculus Rift, com câmeras girando permitindo 360 graus de visão. Isso sim é um uso excelente. Provavelmente o pessoal do projeto vai se tocar, voltar pros joysticks e deixar a cabeça cumprir sua função original: servir de suporte pros olhos.

relacionados


Comentários