Meio Bit » Baú » Internet » Animação anti-bullying fica menor a cada compartilhamento no Facebook

Animação anti-bullying fica menor a cada compartilhamento no Facebook

Grupo de combate ao bullying de Singapura lança animação de consientização no Facebook que é reduzida em um milissegundo cada vez que é compartilhada

09/04/2014 às 12:31

bullying-001

Assim como muitas crianças e jovens sofrem em todo o mundo com bullying e cyber-bullying, em Singapura isso não é diferente, embora a escalada dessa prática covarde tenha atingido números alarmantes nos últimos anos. Em uma pesquisa conduzida em 2006 com 4.000 estudantes entre 7 e 16 anos, foi constatado que 1 em cada 8 jovens sofrem ataques semanais rotineiros; pior, mais de 97% dos jovens admitiram que já sofreram algum tipo de bullying. A situação no país é tão feia que o governo de Singapura aprovou uma lei criminalizando a prática.

Ainda assim ainda há um grande caminho a percorrer para que essa prática seja extinta O grupo Coalizão contra o Bullying em Crianças e Jovens, ou CABCY lançou uma campanha de conscientização em conjunto com a JWT Singapore chamada “Share It to End It”. A ação consiste em uma animação em preto-e-branco em que um garoto vítima de bullying está apavorado demais para falar com alguém sobre seu problema, o que é comum nesses casos.

A campanha incentiva o espectador a compartilhar o vídeo, fazendo o que o garoto não pode por si mesmo. E cada vez que o vídeo é compartilhado a animação é reduzida em um milissegundo, reforçando a ideia de que o bullying se combate com mais pessoas expondo os problemas e falando sobre ele com os pais, amigos e responsáveis. Quando ele tiver compartilhamentos suficientes ele será reduzido a um único frame, que ainda poderá ser compartilhado.

A CABCY espera que o vídeo chame a atenção para o assunto e que a discussão sobre o problema aumente. Ainda que o bullying seja um caso de agressão sério e seja necessário um acompanhamento especializado tanto da vítima quanto dos agressores, a iniciativa é interessante e reforça que é importante falar sobre por aqueles que não tem coragem de fazê-lo.

Fonte: SITEI.

relacionados


Comentários