Meio Bit » Baú » Games » Desenvolvedores minimizam importância dos enredos nos games

Desenvolvedores minimizam importância dos enredos nos games

Designer chefe da Microsoft Game Studios e responsável pela criação de enredos na Riot Games realizam palestra onde afirmam que a história nos games é algo supervalorizado, já que a maioria das pessoas não dão muito atenção a essa parte.

19/03/2014 às 10:00

the-last-of-us

Esta semana está acontecendo nos Estados Unidos a Game Developers Conference, evento que reúne profissionais de todo o mundo e nas muitas palestras realizadas por lá, é possível sabermos um pouco sobre como pensam algumas dessas pessoas, assim como a maneira como a indústria poderá caminhar nos próximos anos.

Uma dessas apresentações reuniu Richard Rouse III, designer chefe da Microsoft Game Studios e Tom Abernathy, responsável pela criação de enredos na Riot Games e eles chamaram a atenção por sua opinião em relação a maneira como as histórias nos jogos eletrônicos são supervalorizadas.

Usando como base uma pesquisa feita pela Microsoft, a dupla alega que os jogadores dificilmente se lembram das tramas apresentadas nos games e ao contrário do que acontece nos filmes ou nas séries para TV, quando se trata de videogames as pessoas são incapazes de descrever com detalhes seus enredos. O curioso é que quando o assunto são os personagens, eles são mais lembrados.

Para eles, o motivo para isso acontecer estaria na incapacidade das pessoas de prestarem atenção em enredos complexos enquanto possuem outras coisas para se preocuparem, pois ao contrário de outras mídias, nos games somos mais do que apenas meros espectadores, o que de fato faz algum sentido.

Outro detalhe mencionado pelos palestrantes é o número de pessoas que terminam os jogos, algo em média na casa de apenas um terço e tudo isso faz com que eles questionem se realmente vale a pena as empresas investirem tão alto em algo que praticamente não será aproveitado.

Essa discussão sobre os jogos deverem se focar na jogabilidade ou no enredo é antiga e como não tenho uma pesquisa semelhante que possa desmentir os senhores Abernathy e Rouse, só tenho condições de dar uma opinião pessoal. Para mim, preocupa pensar que se o que eles defendem for adotado pela maioria, infelizmente poderemos ser impossibilitados de um dia ver novos Flashback, The Last of Us, Spec Ops: The Line, BioShock e tantos outros jogos fantásticos que brilharam, entre outras coisas, por seus ótimos enredos ou narrativas.

Fonte: IGN.

relacionados


Comentários