Meio Bit » Baú » Internet » Atualização do Chrome para Windows vai matar extensões que não estejam na Chrome Web Store

Atualização do Chrome para Windows vai matar extensões que não estejam na Chrome Web Store

Atualização para a versão 33 do Google Chrome para Windows vai bloquear extensões hospedadas fora da Chrome Web Store como forma de mantê-lo seguro

13/02/2014 às 15:30

google-chrome

Não tem muito tempo, o Google avisou os usuários do Chrome que iria engrossar para o lado de quem disponibiliza extensões do browser sem hospedá-las em sua própria Web Store. Embora ela use o argumento da segurança, a verdade é que ela ganha US$ 5 por inscrição controla com mão de ferro o que pode e o que não pode entrar. Sabe aquela famosa extensão que permite alterar algumas configurações finas do YouTube, além de permitir baixar os vídeos (por favor não a mencionem nos comentários, por razões que já explicamos)? No mundo ideal de Mountain View ela jamais seria liberada, e em breve ela e muitas outras deixarão de funcionar.

Agora o Google determinou quando isso vai acontecer: o Chrome 33 para Windows, que será liberado para todos em algumas semanas contará com o recurso "mata-extensão" por padrão, que atuará de seguinte forma:

  • o usuário não mais poderá instalar extensões que não estejam hospedadas na Chrome Web Store, exceto nas versões Dev e Canary (instáveis) ou em modo desenvolvedor, ativado dentro do menu de extensões;
  • extensões já presentes que não tenham sido instaladas via Chrome Web Store serão desativas à força e não mais funcionarão.

Por enquanto usuários de Linux e Mac OS X não serão afetados, mas é fato que uma vez que o recurso se prove funcional ele migrará para outras plataformas. O Google deseja não só manter a segurança de seu navegador ao minimizar a presença de extensões maliciosas, como também controlar rigidamente o que pode ser publicado em sua loja; extensões que adicionam recursos interessantes mas que vão contra os interesses da empresa serão extirpados sem dó, caso o desenvolvedor ceda e deseje submetê-la à avaliação para torná-la legal.

Fonte: Chromium.

relacionados


Comentários