Meio Bit » Baú » Games » A nova geração e a chata briga por frames por segundo

A nova geração e a chata briga por frames por segundo

Square Enix confirma Tomb Raider: Definitive Edition rodando a 60 frames por segundo no PlayStation 4 - ao contrário do que acontecerá no Xbox One - e coloca mais lenha na briga entre os donos dos consoles da nova geração.

27/01/2014 às 8:30

tomb-raider

A briga entre pessoas que possuem consoles diferentes é algo bem antigo na indústria de games, com conflitos que remontam à época do Nintendinho e Master System, e com a chegada da nova geração, todos esperavam que a situação se repetisse, o que evidentemente já está acontecendo.

Dessa vez, uma das armas utilizadas por aqueles que investiram em um PlayStation 4 é a resolução e a quantidade de frames por segundos alcançados em alguns títulos para o videogame e um jogo que tem ajudado a dar munição para essas pessoas é a versão “definitiva” do último Tomb Raider.

O problema é que de acordo com o produtor Scot Amos, enquanto o jogo rodará a 30 frames por segundo no aparelho da Microsoft, no da Sony ele conseguirá ser exibido com o dobro e ao serem questionados sobre o motivo para isso acontecer, um representante da Square Enix afirmou que o objetivo da empresa sempre foi fazer com que o game rodasse nos novos consoles em Full HD a 30 frames por segundo e que qualquer coisa acima disso seria legal, mas apenas uma espécie de bônus.

É claro que tal explicação não deve ter sido suficiente para alegrar aqueles que possuem um Xbox One e queriam o jogo rodando a 60 frames por segundo e ao se defender, o diretor sênior de gerenciamento de produtos da Microsoft, Albert Penello, afirmou que se passaram apenas poucas semanas desde o lançamento do videogame, sugerindo que essas diferenças entre os aparelhos deverão sumir com o passar do tempo.

Acredito que a diferença entre o PS4 e o Xbox One não é tão grande, sei o que está acontecendo nos bastidores e provavelmente tenho acesso a mais informações sobre algumas dessas coisas do que muitas pessoas,” declarou Penello. “As vezes acho que as pessoas negligenciam os pontos que estão a meu favor e preferem ressaltar os pontos que dizem que estou errado. Acho que essas pequenas coisas são exageradas, enquanto a qualidade dos jogos e a real diferença em ambas as experiências são mínimas.

Este é um ponto que julgo interessante, pois embora eu gostaria que todos os jogos rodassem a suaves 60 quadros por segundo, não vejo muito problema em jogar com a metade disso. Para mim, o principal problema em um jogo são as súbitas quedas na taxa de atualização e desde que isso não aconteça, acho que está tudo bem. É claro que se colocarmos as duas versões para rodar lado a lado notaremos a diferença, com a animação parecendo muito mais natural no PS4, mas como isso só será feito por desmiolado que querem provar que o seu console é melhor que o dos outros, não vejo como os donos de um Xbox One não se divertirão com este Tomb Raider: Definitive Edition, mesmo tendo menos FPSs.

Fonte: Videogamer.

relacionados


Comentários