Meio Bit » Baú » Games » Games podem afetar maneira como sonhamos

Games podem afetar maneira como sonhamos

Pesquisadora canadense afirma que, por estarem acostumados a realidades alternativas, gamers possuem mais facilidade de controlar seus sonhos e até evitar pesadelos.

24/01/2014 às 10:00

dream

Sabe quando você tem a clara sensação de que está ditando os rumos daquilo que está sonhando? Isso se chama sonho lúcido, uma técnica que pode ser aperfeiçoada com o tempo e que de acordo com a pesquisadora Jayne Gackenbach, seria mais acessível às pessoas que se dedicam a games mais elaborados, ou se preferir, hardcores.

Psicóloga na Grant MacEwan University, localizada no Canadá, Gackenbach tem estudado a maneira como os jogos eletrônicos podem influenciar nossos sonhos e descobriu que os gamers costumam ter sonhos mais incríveis do que as outras pessoas, podendo inclusive ajudar a fazer com que os integrantes grupo sejam mais criativos no mundo real.

O maior paralelo entre os jogos e os sonhos é que, em ambos os casos você está em uma realidade alternativa, tenha sido ela construída biológica ou tecnologicamente,” explicou a pesquisadora. “É interessante pensar sobre como essas realidades alternativas são traduzidas para a consciência desperta, quando você está reagindo aos comandos do mundo real.

Os jogadores já estão acostumados a estar no controle de uma realidade alternativa, então faz sentido que possam perceber que, ‘ei, estou em um sonho’ e saber como manipular a situação.

MacEwan afirmou também que, pelo menos para os jogadores homens, os games parecem ser uma ótima maneira de se protegerem dos pesadelos, uma característica que considera muito boa, pois permite que a pessoa evite situações estressantes.

Pensando no assunto, cheguei a conclusão de que infelizmente só tive algumas poucas experiências de controle de sonhos, todas elas sensacionais, mas por diversas vezes fui capaz de acordar quando quis para evitar um pesadelo, mas evidentemente não saberia dizer se isso aconteceu por causa do tempo que costumo dedicar aos games ou não. De qualquer forma, ainda bem que aqueles monstros nunca me alcançaram.

Fonte: The Verge.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários