Meio Bit » Baú » Internet » Argentina deixa de entregar encomendas nas residências via compras online no exterior

Argentina deixa de entregar encomendas nas residências via compras online no exterior

Torça para que essa moda não pegue: argentinos que fizerem compras online no exterior terão que preencher uma declaração e retirar seu pacote pessoalmente

22/01/2014 às 12:00

amazon-storage

Nos últimos anos a Argentina vem sofrendo muito com a evasão de divisas. De 2011 para cá as reservas do Banco Central despencaram de 52 para 29 bilhões de dólares e a culpa geralmente é atribuída às importações. Nos últimos anos o governo tem colocado severas restrições para evitar a fuga da grana para o exterior e limitar as transações em moeda estrangeira, mas as últimas foram de certa forma bem maldosas.

Em dezembro o governo aumentou o imposto de gastos com turismo no exterior de 25% para 35%, e a taxa é a mesma para a aquisição de pacotes de turismo e passagens de avião. Se você preferir comprar em sites na internet não tem conversa: terá de pagar 50% de imposto para compras acima de 25 dólares. O motivo foi o aumento da porcentagem das compras online fora do país, de 7,5% em 2012 para 13,5% em 2013.

Só que isso não foi o bastante. O governo complicou ainda mais a vida dos consumidores e a partir de agora os produtos comprados no exterior deixarão de ser entregue em casa. O comprador será obrigado a preencher um formulário no portal da AFIP (o órgão fiscal regulador argentino) no ato da compra, que fará as vezes de uma declaração jurada. Os pacotes serão todos retidos e só poderão ser retirados na alfândega mediante a apresentação desse documento. Consumidores locais estão loucos pois o sistema de entregas argentino atualmente é moroso ao extremo, as pessoas tendem a perder de três a quatro horas para retirar um pacote em situações normais. Imagine como será a partir de agora.

A intenção é óbvia, aumentar a burocracia de forma a desestimular as compras no exterior, forçando os argentinos a gastar seu dinheiro no país e movimentar sua própria economia. Entretanto esta é uma forma burra de resolver as coisas. Durante o governo de Cristina Kirchner a inflação atingiu níveis alarmantes, e uma atitude dessa só piora ainda mais a imagem de sua administração.

Só espero que Kirchner e Dilma não andem conversando ultimamente, porque se a moda pega...

Fonte: BBC.

relacionados


Comentários