Meio Bit » Arquivos » Mobile » Google remove função do Android que controlava apps individualmente

Google remove função do Android que controlava apps individualmente

Google diz que função que permite controle fino de permissões de apps do Android foi introduzida por engano; atualização para versão 4.4.2 removeu o feature

16/12/2013 às 10:30

android-app-ops

Quando o Android 4.3 foi lançado, foi descoberta uma função muito útil e secreta que o Google adicionou ao sistema operacional, e por causa disso mesmo ela foi de certa forma bem escondida: chamada App Ops, ela entregava nas mãos dos usuários um controle fino das permissões dos aplicativos, informando o que cada um acessa e dando opções do que elas poderiam usar ou não.

A maioria dos usuários não tem o menor costume de verificar o que um app acessa quando o instala em seus smartphones ou tablets, e não raras as aplicações que fazem uso de um sem número de recursos. Pior, o Android até então não dispunha de uma ferramenta útil para visualização posterior. Com o App Ops isso muda: se você não quiser que um aplicativo acesse o GPS, Agenda, procure redes Wi-Fi, compartilhe sua localização e muito mais, era só determinar o que não deveria ser usado. Claro, como o recurso não era acessível diretamente, um app de terceiros era necessário para utilizá-lo.

Na época eu desconfiava que o Google não entregaria o acesso nativamente aos usuários, mas a verdade é que o App Ops nem deveria ter sido incluído em primeiro lugar, pelo menos não agora. A última atualização para o Android 4.4.2 KitKat capou o recurso, sob a alegação de que o feature era experimental, e que o uso contínuo poderia gerar erros em alguns apps. Se levarmos em conta que para acessá-lo era preciso um app não-nativo é compreensível a preocupação. Entretanto muita gente não engoliu essa desculpa - principalmente Peter Eckersley do EFF, que foi o primeiro a contatar o Google e não se convenceu, dizendo que "nada que a empresa disser justifica o ato". Afinal o Google vive de coletar dados.

O Google não disse quando ou se o recurso voltará ao Android; é possível, mas eu não esperaria por ele tão cedo.

Fonte: Reuters e EFF.

relacionados


Comentários