Meio Bit » Baú » Ciência » A Valquíria que guiará os astronautas ao Valhalla, quer dizer, Marte

A Valquíria que guiará os astronautas ao Valhalla, quer dizer, Marte

Johnson Space Center apresenta Valkyrie, robô desenvolvido para situações de risco que poderá abrir caminho para a exploração humana em Marte

11/12/2013 às 15:37

valkyrie-r5 Vocês se lembram do Robonauta, o simpático androide da NASA que a agência está investindo pesado para no futuro servir como auxiliar dos astronautas no espaço? Enquanto o primeiro modelo era uma versão robô do Boba Feet, o segundo modelo teve algumas mudanças de design mas só para não perder o costume, o nome Robonauta 2 foi abreviado para... R2.

Claro, mesmo sendo perfeito para assumir tarefas que fazemos de forma corriqueira, ele ainda carece de limitação em seus movimentos pelo simples fato de não possuir pernas. A NASA já prometeu um upgrade com os membros inferiores para breve, mas nesse meio tempo ele já enfrenta uma concorrência muito saudável, vindo da própria agência.

O Johnson Space Center exibiu os primeiros resultados com a Valkyrie (chamada pela NASA de Robonauta 5, ou R5), uma robô projetada para situações de resgate que é a aposta do instituto para o DARPA Robotic Challenge, que visa incentivar a criação de robôs voltados a tarefas que possam por em risco vidas humanas. Sabe como é, camisas vermelhas não dão em árvores e o órgão precisa do maior número de patentes possíveis para terminar o Metal Gear.

Além de possuir forma humanoide, o que lhe permitirá operar qualquer aparato sem maiores adaptações, a Valkyrie é equipada com diversas câmeras e possui sistema LIDAR de detecção de turbulências por laser, além de um sistema de sonar. Além de ter acesso a áreas que por enquanto o R2 não pode se aventurar, a manutenção da Valkyrie foi pensada pára ser o mais simples possível: suas partes são modulares, um membro danificado ou a o grande pack em suas costas que é bateria podem ser substituídos facilmente.

Nicolaus Radford, líder da equipe da Valkyrie, com sua criação

Seus 125 kg estão distribuídos num corpo esbelto de 1,90 m, que possui mais pontos articulados do que qualquer outro robô já visto. Com isso ela está sendo pensada para situações a princípio simples como subir escadas, operar maquinário pesado e dirigir. Como a NASA tem que pensar além, ela pretende que a "robozinha" seja utilizada em Marte, um cenário que mais do que precisará de mão-de-obra não humana para evitar a perda de vidas, que já não serão muitas de qualquer forma.

Nicolaus Radford, o líder da equipe da JSC não se faz de rogado ao afirmar que a Valkyrie é "um robô super-herói". Bom, pelo menos reator de arco ela já possui.

Fonte: IEEE.

Leia mais sobre: , , , , , , , .

relacionados


Comentários