Meio Bit » Baú » Demais assuntos » Primeiros exclusivos do PS4 não empolgam

Primeiros exclusivos do PS4 não empolgam

Surgem as primeiras análises dos jogos do PlayStation 4 e desempenho dos exclusivos decepciona.

14/11/2013 às 8:30

Knack

Amanhã (15/11) o PlayStation 4 será lançado nos Estados Unidos e com o fim do embargo sobre as análises de seus jogos, vários sites estrangeiros começaram a divulgar o que estão achando dos títulos do aparelho.

Como um dos principais aspectos que nos fazem escolher por este ou aquele console são os exclusivos, causar uma boa impressão nesta leva inicial pode ser uma boa maneira de conquistar muitos consumidores e neste sentido podemos dizer que a Sony deixou a desejar.

Começamos então por aquele que teve o pior desempenho, o Knack. Apontado pela própria fabricante como um dos carros chefes do PS4, o jogo amarga uma média 59 no Metacritic e de acordo com as análises, apenas os efeitos de partículas justificam o game estar na próxima geração. Porém, o que realmente incomoda são as reclamações em relação a falta de criatividade e momentos inspirados.

A Sony chama o Knack de jogo de plataforma, mas há pouca exploração e desafios no ambiente. Claro, há algumas sequências de pulos e salas secretas, mas a sucessão de áreas de combate são pequenas, com entradas e saídas óbvias, e apenas repetição, inimigo após inimigo,” escreveu Steve Butts, do IGN.

Já quando o assunto é o Killzone: Shadowfall, o primeiro grande exclusivo do PlayStation 4, a situação é melhor, mas não muito encorajadora, principalmente se levarmos em consideração o nome que carrega consigo.

Com uma média 74, o que mais vi por aí são declarações de que o FPS é bom, apresentando gráficos muito bonitos, mas falhando por inovar. Basicamente as análises dizem que o jogo é mais do mesmo, o que na minha opinião não chega a ser uma surpresa, dado o histórico da franquia.

Assim como seus antecessores, o Killzone: Shadow Fall pode ser descrito através de uma lente técnica e o jogo certamente merece elogios pela quantidade de polígonos que exibe na maioria dos vastos cenários,” afirmou Kevin VanOrd, do Gamespot, que embora não tenha ficado decepcionado com o título, em nenhum momento sentiu que a criação da Guerrilla Games lhe surpreendeu.

Por fim, temos o Resogun, este sim podendo ser considerado uma bela surpresa. Ostentando uma pontuação 82, por enquanto o shoot 'em up da Housemarque vem sendo apontado como grande destaque do console, o que é bastante irônico, já que se trata de um título que está sendo vendido por US$ 10 e distribuído gratuitamente aos assinantes da PSN.

Embora seja fácil começar a jogar o Resogun, alguns dos seus sistemas e funções únicas oferecem bastante profundidade para te convidar a voltar e jogá-lo novamente,” escreveu Dale North, do Destructoid. Opinião parecida com a de Christian Donlan, do Eurogamer, que disse: “O Resogun é aquele tipo raro de arcade que se parece uma besta diferente quando você o joga na dificuldade mais difícil. É também o mais perto da genuína emoção da próxima geração que a linha inicial do PS4 pode oferecer.

Ou seja, levando-se em consideração esses primeiros exclusivos e tudo o que tenho lido em relação ao console, aqueles que estão defendendo a não aquisição do PlayStation 4 nestes primeiros meses parecem estar com a razão e ao fazer isso, quem sabe ainda não conseguimos pagar menos pelo videogame.

Fonte: GamesIndustry.

relacionados


Comentários