Meio Bit » Baú » Miscelâneas » 1 minuto de coragem: Grandes mudanças partem de pequenas decisões

1 minuto de coragem: Grandes mudanças partem de pequenas decisões

Publieditorial: acompanhe a trajetória do grande caçador de gadgets, que passou por um momento de definição na vida profissional e teve a sorte de ter dois minutos de coragem, um mais de 25 anos atrás, quando resolveu virar designer, e o outro sete anos atrás, quando decidiu que queria mudar de vida, ao transformar o blog em um veículo de comunicação e fazer disto a atividade profissional.

12/11/2013 às 12:00

Post publicitário

1-minuto-de-coragem_2

Todo mundo passa por um momento de definição na vida profissional, mas eu tive a sorte de ter dois minutos de coragem, um mais de 25 anos atrás, quando resolvi virar designer, e o outro sete anos atrás, quando decidi que queria mudar de vida, ao transformar o meu blog em um veículo de comunicação e fazer disto a minha atividade profissional.

De cabeça no mundo do design

Eu cresci querendo ser jornalista e escritor, e meu primeiro emprego foi neste caminho, em uma assessoria de imprensa, talvez uma das primeiras em atividade no Brasil. Quando parecia que ia passar a minha vida dentro de uma redação, troquei de emprego, fui trabalhar diretamente com imagens, o que foi diferente de tudo o que eu esperava, e uma experiência incrível.

O meu trabalho na produtora era o máximo, eu era o responsável por uma truca fotográfica tradicional, e aprendi a fazer máscaras e fazer efeitos especiais usando filmes de vários tipos, que depois revelava em um laboratório que ficava dentro do próprio escritório. Em outras palavras, eu aprendi a usar o Photoshop, só que no mundo real, antes mesmo dele ter sido efetivamente criado.

A questão é que eu usava computadores desde pelo menos os 14 anos, então sabia que o mundo digital era o único caminho. Alguns anos depois, quando usei a versão 0.87 do Photoshop, mais conhecida pelo codinome Seurat, aquilo mudou minha vida. Quando vi que era capaz de fazer tudo o que fazia na truca de forma digital, me apaixonei. Como este era o exato momento em que eu ia fazer meu vestibular, acabei indo parar no design gráfico.

Na faculdade, tive dificuldades por entregar trabalhos impressos em uma impressora laser, mas a mudança chegou rápido e mudou o mundo, para o desespero dos meus professores mais ortodoxos. Me jogar neste mundo sem nem ao menos saber desenhar muito bem foi o meu primeiro minuto de coragem, mas a verdade é que eu sabia usar o computador como poucos, em um tempo em que a maioria das pessoas nem sabia direito o que seria possível fazer com um. Como autêntico nerd, fui fundo no assunto, fazendo cursos de design e programação para web, pesquisando e lendo muitos livros, e me especializando na nova profissão.

Nos próximos 20 anos, diagramei revistas, fiz capas de livros, newsletters impressas e digitais, e criei desde sites em html usando o notepad até apresentações interativas complexas em programas como o Director e Flash, e paguei todas as minhas contas usando o design. Durante todo esse tempo, aquela minha vontade de escrever ficou adormecida, até que eu descobri o mundo dos blogs.

A descoberta do mundo dos blogs

Desde que comecei a fazer sites, ajudei algumas pessoas a criarem seus próprios blogs, mas no fundo sempre achava que aquilo era uma espécie de diário de adolescente. A minha cabeça só começou a abrir com as novas possibilidades quando conheci o Meio Bit, e o Engadget, que gostei tanto que acabei criando meu próprio blog de gadgets. Quando coloquei o Digital Drops no ar no começo de 2006, tudo o que queria era falar sobre os gadgets mais incríveis do mundo antes de qualquer outra pessoa, mas aquele blog acabou mudando a minha vida. Minha obstinação por encontrar os gadgets antes dos grandes blogs americanos me levou a assinar sites nas mais diversas línguas, o que me rendeu ótimas pautas e o apelido dado pela minha amiga Rosana Hermann, “o caçador de gadgets”.

Foi logo no primeiro ano de blog que tive meu segundo minuto de coragem e tomei a decisão definitiva de trocar mais uma vez de profissão. A partir dali, deixei de trabalhar gradualmente com design para me dedicar exclusivamente a produção de conteúdo, algo que me traz muita alegria e satisfação até hoje. Em menos de 12 meses, troquei efetivamente de negócio, largando a empresa onde eu era o designer de plantão e me jogando de cabeça em um novo mercado. O Cardoso brinca que não existe ex-designer, mas eu sou prova de que existe sim. Atualmente o máximo que faço são os meus cartões de visita ou algum fundo para as páginas nas redes sociais dos blogs, e olhe lá. Sei que a mudança de vida foi radical, mas não me arrependo dela nem por um segundo.

De lá pra cá, organizei eventos como o BarCamp Rio em 2007, escrevi em inglês em um blog internacional, fui colunista e curador do projeto Yahoo! Posts, dei palestras e participei de debates sobre redes sociais, tecnologia e internet em algumas edições da Campus Party, no YouPix (SP e Rio, do qual somos parceiros) e muitos outros eventos no Brasil, além de ter feito uma apresentação sobre a vida de Bill Gates na Casa do Saber do Rio em 2012. Também fiz algumas participações antológicas no Nerdcast, onde ganhei até um apelido simpático do Azaghal, o de Nice Guy.

Em 2007, fundei com meu irmão Dado o Blog de Brinquedo, um dos blogs mais completos e mais respeitados do mundo sobre o tema. Em 2009, investi na sociedade do Meio Bit, e mesmo com a saída dos meus sócios, não desanimei, e corri atrás para fechar parcerias que tornam possível ao site continuar crescendo até hoje. Quando comecei no mundo dos blogs, a minha grande referência era o Meio Bit, e eu fico feliz e honrado por continuar tocando este barco até hoje!

Passei um ano na In Press Rio em 2009, me dedicando a uma tarefa complicada, ser o assessor de redes sociais do Metrô Rio, mas que eu consegui realizar de forma bem eficaz. Em 2010, o DD venceu o prêmio The Bobs como melhor blog em português do mundo pelo voto popular, o que me encheu de orgulho e alegria. No mesmo ano, fui convidado para trabalhar na Globo.com, onde ajudei a criar o TechTudo, novo site de tecnologia do portal. Como editor-chefe do TT, além da seleção de conteúdo e a curadoria dos colunistas, fui um dos responsáveis pela criação da estrutura de gerência que permite a colaboração de múltiplos autores e é usada até hoje.

Depois que o site estava funcionando e meu desafio estava completo, me tornei colunista e correspondente internacional em eventos até maio deste ano, quando decidi que era a hora de me dedicar exclusivamente aos meus blogs, para os quais simplesmente eu não tinha tempo antes. Atualmente continuo fazendo a cobertura de eventos internacionais como a IFA em Berlim, mas só que agora exclusivamente para o MB e o DD.

Meio Bit

Atualmente sou o editor-chefe do Meio Bit, e o responsável pela seleção de autores e de pautas, que busca garantir que o conteúdo que você lê no blog seja ao mesmo tempo original e interessante.

Graças a interação com nossos leitores que realmente entendem do assunto, somos mais do que um blog de tecnologia, e sim algo único, uma verdadeira comunidade. Nossa audiência e perfis nas redes sociais estão aumentando a cada mês, então acredito que estamos no caminho certo.

O meu minuto de coragem não acabou, ele se renova a cada dia. Estou o tempo inteiro pensando em como podemos melhorar o MB, o DD e o BdB para os nossos leitores, além de alguns novos projetos e desafios que vocês ouvirão falar muito em breve.

E você? Pode compartilhar para nós qual foi o seu minuto de coragem?

Saiba mais sobre este movimento no site #1MinutoDeCoragem.

Leia também: 1 minuto de coragem já é mais do que o suficiente!

Este post é parte de uma campanha da NEXTEL.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários