Meio Bit » Baú » Ciência » Chances de planetas potencialmente habitáveis são de 1 em cada 5, em estrelas parecidas com o Sol

Chances de planetas potencialmente habitáveis são de 1 em cada 5, em estrelas parecidas com o Sol

Dados obtidos pela missão Kepler da NASA mostram que existem muito mais planetas habitáveis no universo do que supunha a nossa vã filosofia.

07/11/2013 às 15:45

zona_habitavel_kepler

Quando eu era mais jovem, ouvi muitas vezes de gente supostamente inteligente que seria praticamente impossível existir outro planeta que pudesse oferecer as mesmas condições para o surgimento que a vida do que a Terra. Um dos argumentos era que sem dados era impossível ter 100% de certeza sobre o assunto. Pois bem, agora temos esses dados, e toda aquela lógica egocêntrica de que a Terra é o único planeta habitável do universo simplesmente caiu por terra.

Dados obtidos pela missão Kepler da NASA mostram que existem muito mais planetas habitáveis no universo do que supunha a nossa vã filosofia. Com os dados do observatório espacial, astronômos da Universidade de Berkeley e da Universdade do Havaí concluiram que as chances de uma estrela parecida com o nosso Sol ter planetas habitáveis em sua órbita é de uma em cada cinco.

Como 20% de todas as estrelas são como o Sol, os pesquisadores estimam que existam muitas dezenas de bilhões de planetas potencialmente habitáveis só na Via Láctea. É claro que só o fato de termos planetas do tamanho certo em uma “zona habitável” na órbita de uma estrela parecida com o Sol que mantenha a temperatura nem tão quente nem tão fria, não quer dizer que eles sejam necessariamente habitáveis, pois isto também depende de muitos outros fatores como a composição da atmosfera e temperatura da superfície do planeta, mas mesmo assim, as notícias são animadoras.

Agora eu só preciso de uma DeLorean pra voltar e esfregar estes fatos na cara de quem me dizia aquela velha sandice sobre a Terra ser provavelmente o único planeta habitável do universo!

Saiba mais no site da universidade de Berkeley.

Fonte: Dvice.

Assista ao vídeo da Universidade de Berkeley.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários