Meio Bit » Baú » Ciência » Uma impressora 3D, um projeto open-source e uma mão biônica para um garoto de 12 anos

Uma impressora 3D, um projeto open-source e uma mão biônica para um garoto de 12 anos

Projeto open source de Ivan Owen e Rick Van As que criou prótese para garoto sul-africano incentivou pai a imprimir mão barata e funcional para seu filho

05/11/2013 às 16:45

bionic-hand

Leon McCarthy é um garoto de 12 anos de Massachusetts como qualquer outro de sua idade, exceto que um problema de formação quando ainda estava no útero fez com que ele nascesse com a mão esquerda atrofiada, praticamente sem dedos. Entretanto para seus pais ele nunca foi convencido de que era diferente, mas especial. Ele leva uma vida normal, mas para seu pai Paul, seu garoto merecia mais. Uma prótese tradicional custa alguns milhares de dólares e ele não tinha como pagar por uma. Entretanto, um vídeo que ele viu no YouTube despertou sua curiosidade.

O vídeo em questão já deu as caras aqui no Meio Bit, quando o Cardoso escreveu sobre o pequeno Liam: um garotinho da África do Sul que nasceu com a mesma condição de Leon. Um projeto open source idealizado por um carpinteiro local chamado Rick Van As que perdeu a mão num acidente e Ivan Owen, técnico de efeitos especiais do estado de Washington resultaram na criação de uma prótese mecânica produzira numa impressora 3D totalmente customizável, ao custo de míseros US$ 150. O resultado, um garotinho feliz:

Paul McCarthy entrou em contato com Owen, estudou os esquemas da prótese e adaptou às necessidades de Leon, resultando num modelo mais simples do que a que Liam usa até pela diferença de idade: como o garoto sul-africano mais novo, é importante que ela seja mais resistente. Por conta disso a prótese de Leon custou bem menos para ser impressa, entre 5 e 10 dólares.

Devido a diferença gritante de preço do modelo impresso e uma tradicional (que pode custar até US$ 30 mil), Paul e Leon estão empolgados que podem se dar ao capricho de experimentar diversos modelos, além de adaptar a mão conforme o garoto cresce. Em entrevista, Leon conta que quando seu seu pai disse que imprimiria seus dedos, ele achou a ideia uma loucura, mas ao experimentar a mão biônica achou incrível ser capaz de segurar uma simples garrafa d'água. Ao ser perguntado como ele se vê, a resposta foi óbvia: um ciborgue. 🙂

Nem sempre o aparelho mais high-tech é o melhor ou mais indicado para todo mundo. Às vezes basta um pouco de boa vontade e dedicação que uma solução simples pode fazer uma criança se sentir um super-herói, e isso é incrível.

relacionados


Comentários