Meio Bit » Arquivos » Games » Dark Matter e os jogos “inacabados”

Dark Matter e os jogos “inacabados”

Após lançar Dark Matter no Steam, desenvolvedora é acusada de distribuir um jogo incompleto, mas será que os jogadores estão reclamando com razão?

22/10/2013 às 16:00

Dark Matter

Vocês provavelmente devem se lembrar da confusão causada pela Hammerpoint Interactive quando a empresa lançou o The War Z no Steam. Pois nos últimos dias algo parecido voltou a acontecer - embora em menor proporção - no serviço de distribuição da Valve, dessa vez envolvendo a Iceberg Interactive.

Tudo começou após o lançamento do Dark Matter, jogo no estilo Metroidvania onde tentamos sobreviver dentro de uma nave espacial infestada por inimigos alienígenas e após a aventura acabar abruptamente, muitos ficaram revoltados por sermos presenteados apenas como a mensagem “To be continued”.

Aquilo fez com que os jogadores começassem a reclamar, dizendo que o game estava inacabado e as acusações começaram a pipocar no fórum da loja, o que levou o CEO da desenvolvedora, Erik Schreuder, a falar sobre o caso.

Segundo ele, a ideia inicial era que o título fosse financiado através de uma campanha no Kickstarter, onde teríamos um jogo muito maior e por isso cada cópia seria vendida por US$ 30. No entanto, como eles falharam em conseguir o valor necessário, viram-se obrigados a distribuir o game por episódios, sendo que cada um deles custariam US$ 15.

Se tal declaração por si só não fosse frustrante o suficiente, Schreuder revelou que para um novo episódio ser feito o anterior precisa ter vendido um determinado número de cópias, o que obviamente significa que poderemos nunca ver a continuação para a história que eles pretendiam contar.

O executivo também se defende dizendo que essa primeira parte dura entre 5 e 9 horas, sendo exatamente como descrito no Steam, com 14 estágios, o que elimina as acusações de que se trata de algo incompleto, mesmo não sendo a versão “cheia” que eles pretendiam fazer quando iniciaram a campanha no Kickstarter.

Porém, tudo isso não surtiu efeito, já que as vendas do game foram suspensas e aqueles que o adquiriram no GOG ainda podem pedir o reembolso do valor gasto.

Na minha opinião, não há dúvidas de que chegar ao fim de um game e descobrir que o enredo só continuará num próximo capítulo é algo frustrante, mas será que aqueles que estão reclamando estão na razão?

Há uma infinidade de títulos de grande porte por aí que se utilizam da mesma estratégia preguiçosa, o que obviamente não minimiza a situação, mas será que isso é motivo para pedirmos nosso dinheiro de volta, de acusar o Steam de não possuir um controle de qualidade ou de afirmar que o estúdio foi mal intencionado?

A verdade é que toda essa publicidade negativa deverá atrapalhar bastante os planos da Iceberg Interactive, podendo tornar a criação de uma continuação mais difícil e no fim das contas, todos poderão sair prejudicados nessa história.

Fonte: Steam.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários