Meio Bit » Baú » Hardware » Conheça a Peachy Printer, uma impressora 3D de apenas cem dólares

Conheça a Peachy Printer, uma impressora 3D de apenas cem dólares

Startup levanta fundos para lançar impressora 3D de apenas cem dólares que utiliza a saída de áudio do PC para controlar o processo

23/09/2013 às 10:30

peachy-printer

Fato: a impressão 3D ainda vai demorar um bocado para se difundir, pelo simples motivo que o processo é caro. O equipamento custa uma nota preta, os insumos então nem se fala. É normal o valor ser amortecido com o tempo, mas na pior das hipóteses ainda vai demorar para você imprimir suas miniaturas de RPG em casa.

Ou talvez não, e é aí que entra a Peachy Printer: um projeto de crowdfunding para entregar uma impressora 3D de apenas US$ 100.

O segredo de como a startup canadense Rinnovated Design chegou nesse valor se deve à mudança de foco: a Peachy Printer possui um tamanho reduzido e não utiliza o método tradicional para produzir as peças. Quem já mexeu com um projetor laser de efeitos especiais vai se sentir um tanto familiarizado, pois ao invés de utilizar eixos e motores de precisão, a impressora possui eletroimãs comuns que movimentam dois pequenos espelhos que controlam um laser, o responsável em criar o item através de litofotografia, endurecendo uma camada de resina. Tudo controlado pelas conexões P2 de microfone e fone de ouvido do PC.

Utilizando um patch no Blender, o modelo 3D é transformado num arquivo de áudio. A diferença de volume no arquivo controla os eixos X e Y. Para o eixo Z, um reservatório contendo água salgada é utilizado para controlar a altura da resina; cada gota é captada pela entrada do microfone, que administra a velocidade do fluxo de acordo com a movimentação do laser. E o mais legal: o Peachy Printer dispensa um scanner 3D ao permitir a captura de objetos, quando equipado com uma câmera.

A Rinnovated Design abriu o projeto no Kickstarter e Indiegogo na última semana, e em pouco tempo triplicou o valor pretendido de 50 mil dólares. Ainda que ela não pareça muito prática e um pouco pequena - até para manter o custo lá embaixo -, se o processo se mostrar preciso e rentável nada impede que seja uma opção interessante e mais em conta do que gastar milhares de reais para imprimir suas coisas em casa.

Fonte: Kickstarter e Indiegogo.

relacionados


Comentários