Meio Bit » Baú » Games » Para Naughty Dog, grandes podem aprender com os indies

Para Naughty Dog, grandes podem aprender com os indies

Diretor da Naughty Dog fala sobre como os grandes jogos podem ter personagens melhores e mais variados graças aos indies.

17/09/2013 às 16:00

the-last-of-us

Muitas vezes defendemos os jogos independentes como um oásis de criatividade, mas a liberdade que os pequenos desenvolvedores possuem pode ser importante para a indústria como um todo, não apenas por permitir o surgimento de novas mecânicas, mas de acordo com Neil Druckmann, diretor e roteirista na Naughty Dog, também por abrir espaço para que as jogos de ponta entreguem personagens mais complexos e variados.

Com os grandes títulos as vezes é difícil fazer essas gigantescas mudanças em relação a o que um jogo pode ser ou a que tipo de história podemos contar. Conforme mais exemplos surgem, acho que mais pessoas perseguirão melhores narrativas e espero que a crítica e as narrativas dos jogos se tornem mais sofisticadas.

Acho que antes teríamos dificuldades em falar sobre como as mulheres ou os personagens negros são representados nos jogos, mas no momento estou empolgado pela discussão e o tipo de crítica que os games estão recebendo. Penso que essas mudanças acontecerão muito mais rapidamente no futuro e as pessoas que não entrarem nesta discussão, que não tentarem atrair essas audiências que estão surgindo, serão deixadas para trás… A partir do momento que tivermos evidências suficientes para dizer ‘Ei, veja, isso não é arriscado, o jogo pode ser um sucesso comercial,’ então a criatividade poderá florescer e novos caminhos serem seguidos.

Apesar de concordar com a opinião de Druckmann, acho que ela só reforça algo que considero um tanto absurdo, que é o fato dos games ainda precisarem se escorar em convenções que deveriam ter sido deixadas para trás no século retrasado, que é a ideia de que as “minorias” não podem ser protagonistas.

É verdade que isso aos poucos está diminuindo nos jogos eletrônicos, mas será que um dia a indústria evoluirá ao ponto de não fazer a menor diferença para o sucesso se o personagem principal é muçulmano, uma garota que não se enquadre no modelo de beleza estabelecido pela sociedade ou um homossexual? Bom, se na vida real algumas pessoas não aceitam isso, talvez eu esteja pedindo demais.

Fonte: GamesIndustry.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários