Meio Bit » Arquivos » Miscelâneas » Electrolux Design Lab 2013 e as belas ideias dos latino-americanos

Electrolux Design Lab 2013 e as belas ideias dos latino-americanos

Conheça três conceitos - um deles brasileiro - que estão entre os semifinalistas do Electrolux Design Lab, um dos mais importantes concursos de design do mundo.

04/09/2013 às 15:58

Para mostrar a importância do design para a empresa e o respeito pelos profissionais da área, anualmente a Electrolux realiza o Design Lab, uma conceituada competição onde estudantes de todo o mundo enviam seus projetos de conceitos de eletrodomésticos que um dia poderão mudar a vida dos consumidores e ontem tive a oportunidade de conhecer os três latino-americanos que estão entre os 20 semifinalistas, sendo que um deles é uma brasileira.

Antes de falar um pouco sobre os projetos que foram apresentado no Centro de Design da Electrolux localizado em Curitiba, gostaria de passar alguns detalhes do concurso. Conforme foi explicado aos presentes, a edição 2013 registrou 1700 ideias vindas de 60 países e que deveriam se enquadrar no tema ‘Vida Urbana Inspirada’, que por sua vez foi divido em três categorias, Cozinha Social, Ar Natural e Limpeza Sem Esforço.

Após passarem por uma série de etapas, o número de projetos foi diminuindo até chegar aos 20 últimos e além da catarinense radicada em Curitiba, Luiza Silva, a América Latina ainda está representada pelo colombiano Adrian Perez Zapata e o mexicano Jorge Alberto Treviño Blanco. Como gostei muito de suas propostas, tentarei explicar cada uma delas.

Atomium - Luiza Silva / Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Valendo-se da premissa de que tem se tornado cada vez mais comum as crianças prepararem suas próprias refeições devido a falta de tempo dos pais, o Atomium seria uma impressora 3D que através de ingredientes moleculares criaria alimentos camada por camada, deixando-o com a aparência de um brinquedo ou um personagem de desenho animado.

De acordo com o projeto, a criança poderia gerar a comida apenas ao citar algum objeto ou através de um desenho em duas dimensões feito por ela, que seria escaneado pelo Atomium, inflado e impresso, tudo sem dificuldades e tornando a alimentação mais divertida e consecutivamente, atraente.

Outra característica muito interessante seria o reconhecimento do usuário através de impressão digital e como o aparelho manteria seu histórico médico, seria possível evitar a produção de refeições com ingredientes que a criança seja intolerante.

atomium

Mab - Adrian Perez Zapata / Universidad San Buenaventura Medellín e Universidad Pontificia Bolivariana

Descrito como um sistema de limpeza autônomo, o Mab foi a solução encontrada por Adrian para facilitar a tarefa da limpeza da casa, permitindo que as pessoas aproveitem seu tempo com outras atividades. Formado por um objeto redondo com 30cm de altura e que possui duas rodas para locomoção, o que chama a atenção no conceito são as centenas de minirrobôs que se se encaixam nele e quando ativados, voam pelo ambiente para limpá-lo ao tocar na poeira ou líquido com suas gotas de fluído e que posteriormente serão levados à base.

O designer disse que a principal influência para o Mab veio da natureza, já que funcionaria como um grande enxame de insetos e por isso os pequenos limpadores agiriam como se fizessem parte de um cérebro coletivo, sabendo assim onde estão os seus companheiros e quais locais ainda precisam ser limpos.

Além de ter mencionado a comunicação com smartphones para avisar o usuário que uma unidade está com defeito ou permitir a escolha do programa de limpeza, em relação a energia o Mab poderia funcionar através de uma tecnologia chamada Witricity, onde a eletricidade é passada sem utilização de fios; de um carregamento prévio ou mesmo usando as asas dos robôs como painéis solares.

Embora algo assim possa ser considerado utópico demais por muita gente, o autor do projeto mostrou um impressionante vídeo gravado pelos pesquisadores da Universidade da Pensilvânia onde vários robôs voadores tocam o tema do James Bond, o que nos faz tentar imaginar como estará essa área daqui há alguns anos.

mab

Ohita - Jorge Alberto Treviño Blanco / Universidad Autónoma de Nuevo León

Após constatar que as cidades estão crescendo muito e que por isso o ar tem se tornado pior a cada dia, Jorge idealizou um sistema de purificação de ar que funciona como uma estrutura modular cinética e que assim poderiam ser utilizados em casa, no ambiente de trabalho ou mesmo na rua, fixando-os à roupa e além de filtrar o ar que respiramos enquanto estamos, por exemplo, num metrô lotado, serviria como objeto de decoração.

Devido ao seu design, o Ohita pareceria estar respirando, puxando o oxigênio enquanto está aberto e o expelindo pelos orifícios laterais ao fechar. Neste processo o ar passaria por uma série de filtros feitos principalmente de carvão de bambu e um dos seus principais destaques seria a possibilidade de utilizar aromatizadores para replicar o cheiro de lugares que gostamos, como o campo ou uma praia.

ohita

É importante ressaltar que todos esses projetos são conceitos, portanto existe uma boa chance de que nunca sejam produzidos ou caso isso aconteça, só cheguem ao mercado daqui há vários anos. Mesmo assim, é muito legal ver as soluções que os designers estão propondo para problemas que nos rodeiam e por isso a iniciativa da Electrolux ao organizar o Design Lab merece todos os elogios, além é claro, de ser uma excelente maneira de fortalecer a marca como uma das que mais investe em inovação.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários