Meio Bit » Baú » Internet » Mimimikipédia?

Mimimikipédia?

02/01/2009 às 15:03

A Wikipedia está de novo em campanha de doações. EU sou contra.

O site é um sucesso incontestável, com visitas na casa dos milhões. Tem um conteúdo altamente contextualizado, é um caso quase didático para veiculação de publicidade. Caramba, há até uma área para um superbanner no cabeçalho.

Problema: Seu fundador não aceita a idéia. Ele quer que a Wikipedia seja tratada como entidades assistenciais e bibliotecas, que vivem de fundos públicos e/ou doações.

Meu problema com o problema deles: Doações devem ser reservadas para quem não tem condições de se sustentar, e a Wikipedia TEM. Não estamos falando de formas de sustento envolvendo a exploração sexual de bebês-foca ou matar com pauladas pré-adolescentes pobres na Tailândia para fazer casacos, mas de um simples e prosaico BANNER.

Se o Jimmy Wales acha que um simples banner compromete toda a credibilidade editorial da Wikipedia e seus milhares de colaboradores, então eles se vendem bem mais barato do que eu imaginava.

Para piorar a Wikipedia está dando uma de pobre orgulhosa: Só aceitam doações começando em US$30,00, e no geral os próprios editores e colaboradores não estão gostando da esmolagem. Há consenso que a estrutura está inchada e ineficiente, com custos operacionais dobrando no último ano, de US$3,5 milhões para projetados US$6 milhões, um Steve Austin inteiro, descontando inflação.

Levando-se em conta que a maior carga de trabalho é feita de graça por colaboradores, para onde está indo o dinheiro? Sabe-se que o staff é MUITO bem-pago. Longe de mim reclamar de gente ganhando bem, mas uma entidade não-lucrativa, sustentada por doações não deveria gastar mais que o necessário em salários.

Se você acha que a Wikipedia não deve mesmo veicular publicidade, sugiro que desinstale seu Firefox AGORA, pois o nosso navegador favorito vive basicamente de dinheiro do Google AdSense (e outros programas), algo como US$100 milhões / ano.

Enquanto isso a Wikipedia fica esmolando ridículos US$6 milhões. Será que orgulho de não veicular uma porcaria de um banner vale tanto assim?

Fonte: Ars Technica

relacionados


Comentários