Meio Bit » Baú » Mobile » Nokia Stalin deixa Che vermelho de vergonha

Nokia Stalin deixa Che vermelho de vergonha

02/01/2009 às 13:56

O telefone celular é talvez o maior símbolo da liberdade individual e triunfo do capitalismo. Seguindo as Leis de Mercado como um cordeirinho, ele começou caro e de elite, e sem nenhum tipo de programa estatal Telefone Zero da vida, hoje é utilizado por todas as camadas da sociedade.

Por isso nada mais estranho do que os Nokias que apareceram em várias lojas de Moscou, trazendo papéis de parede com a imagem de Joseph Stalin, ex-líder da falecida União Soviética e um genocida que rivalizou Hitler. Mas como todo líder a muito morto, sua popularidade tende a crescer, daí a idéia de jerico de criar telefones "homenageando" o sujeito.


Stalin, o Bigodudo do Mal

A idéia, claro, não veio da Nokia. A Finlândia ainda se lembra da guerra de independência em 1917, contra a União Soviética, e de como sofreu durante a Guerra Fria, estando às portas do Império do Mal (tm Ronald Reagan). Tanto que a empresa soltou uma declaração impressionantemente enfática:

"Mesmo que a Nokia estivesse à beira da ruína e vender telefones com o retrato de Stalin fosse a única chance de salvar nosso negócio, a Nokia não faria isso"

Uia!

Aparentemente o status de genocida impede que Stalin siga o mesmo caminho do hoje ídolo pop Che Guevara, que mantém uma impressionante quantidade de pequenos empresários produzindo bottons, camisetas, adesivos e bonés com seu slogan pró-Viagra.

Não que a Nokia esteja planejando um Nokia Che, mas que se fizessem venderia, ah venderia...

Via: Apa

relacionados


Comentários