Meio Bit » Baú » Internet » 20% dos jovens já compartilhou fotos de si mesmos pelados (ou peladas, de preferência)

20% dos jovens já compartilhou fotos de si mesmos pelados (ou peladas, de preferência)

15/12/2008 às 0:09

Uma pesquisa de uma organização para planejamento familiar e erradicação da gravidez em adolescentes envolvendo 1280 adolescentes (13-19) e jovens adultos (20-26) revelou que nada menos que 20% dos entrevistados já subiu para a Internet fotos ou vídeos de si mesmos sem roupa.

No grupo de jovens adultos a quantidade de exibicionistas sobe 1/3.

Entre o grupo que postou fotos nuas ou semi-nuas:

  • 20% dos adolescentes
  • 22% das meninas adolescentes
  • 18% dos meninos adolescentes
  • 11% das adolescentes entre 13 e 16 anos

71% das adolescentes disseram que enviaram as fotos e/ou vídeos para namorados, mas 15% dos entrevistados no total disseram que enviaram para gente que só conheciam online.

Ou seja: Temos uma epidemia de adolescentes trocando fotos peladas entre si, e 40% dos jovens adultos e 33% dos adolescentes afirmaram que tiveram acesso a imagens nuas ou semi-nuas de terceiros, no melhor estilo "olha só a fulana pelada"

É a mesma velha história: As meninas continuam acreditando no papo baba-de-quiabo "claro que não vou mostrar pra ninguém, pode mandar, eu apago do MSN assim que ver".

Eu fico imaginando em alguns anos, quando essas meninas forem juízas, professoras, deputadas, e alguém resolver pesquisar na Internet por seu passado. Lembrem-se, não dá para TIRAR nada da Internet (viu, Cicarelli?). Em breve teremos serviços de busca de imagens onde não será preciso mais depender de tags, poderemos indicar uma pessoa e o Sucessor do Google trará as fotos e vídeos onde tal pessoa aparece, independente de identificação. Com isso todas as milhares de Amadoras e "Cachorras do Orkut" serão devidamente identificadas.

Também penso na profunda injustiça que foi ser adolescente nos anos 80 e não ter acesso a NADA dessa tecnologia. As chances de ver alguma colega de classe sem roupa eram virtualmente zero. Vocês que nasceram de 1994 para cá não sabem a sorte que têm.

Fonte: Ars Technica

relacionados


Comentários