Meio Bit » Baú » Games » Desabafo nintendista

Desabafo nintendista

24/11/2008 às 15:48

Na última semana eu encontrei um texto publicado no site ScrewAttack que me deixou perplexo. As palavras descritas nele foram redigidas por uma americana que decidiu falar o que pensava sobre as críticas que a BigN vem sofrendo dos próprios jogadores que alegam que a empresa não cria mais jogos para eles e sim para um público “casual”.

Iria fazer um post aqui indicando o texto, mas decidi que o depoimento feito por Kaylyn Dicksion merecia ser lido (e entendido) pelo maior número de pessoas possível. Entrei então em contato com a autora e pedi autorização para traduzir o seu relato, o que foi prontamente atendido.

Após o break você confere o ponto de vista de Kaylin e se você está insatisfeito com a turma do Miyamoto, peço por favor que o leia com a mente aberta. Por outro lado, se você é daqueles que ainda admira a empresa japonesa, dedique alguns minutos do seu dia a esta leitura e faça uma viagem no tempo e se lembre de uma época em que só nos importávamos em nos divertir, independente de saber quem produzia os jogos. Espero que goste tanto quanto eu gostei.

dori_nin_24.11.08

A Nintendo e seus fãs; Quem abandonou quem?
Por Kaylyn "MarzGurl" Dicksion

“Nintendo e você. A Nintendo sempre esteve por aqui, sendo a sua melhor amiga e sua maior oponente. Vocês caminharam juntos como amigos e você sentia falta disso, quando quando era proibido de jogar.

Agora você está aí, sentindo-se traído pela sua velha melhor amiga. Sony e Microsoft apareceram, colocaram as mãos sobre os seus ombros e insistiram, “Você está velho agora. É hora de crescer. Nós podemos lhe proporcionar bons momentos.” E então, como gamers, nós nos deixamos levar de nossa velha melhor amiga. E nós nos convencemos de que a culpa era da Nintendo por não ter “crescido” junto com a gente. Isso é justo, tanto com a Nintendo QUANTO com nós mesmo?

Recentemente, o ScrewAttack nos presenteou com um episódio do “Out of the Box” onde avaliaram o Wii Music. Citando o Craig, “Eu nunca me senti tão estupido jogando um game e tenho que dizer que eu estava segurando um Wiimote em minha mãos. Essa é uma das coisas que pela primeira vez em minha vida me fez sentir vontade de virar as costas para a Nintendo. A Nintendo abandou totalmente o seu público hardcore.

dori_nin2_24.11.08 Ouvir essas palavras foi um pouco depressivo. O Wii Music é um jogo perfeito? Oh, não, longe disso. Porém, eu não arriscaria dizer que ele foi feito com a intenção de “abandonar o público hardcore.” O próprio Shigeru Miyamoto admitiu que ele queria fazer um videogame com jogos divertidos que permitisse que qualquer pessoa pudesse jogar. Ele finalmente conseguiu realizar seu sonho de fazer sua esposa entender porque os jogos eletrônicos podem ser divertidos. Você consegue imaginar quanto prazeroso este sentimento pode ser?

Vamos pensar no que fez a Nintendo tão grande antigamente. Teria sido sempre por causa dos gráficos? Teria sido sempre porque era “Cool”? Não, não teria. Nós jogamos por causa dos seus jogos. Então, DE QUAIS jogos nós nos lembramos? Lembra-se do The Legend of Zelda? Ele estava lá no início. E ele retornou novamente nesta geração de jogadores.

Quase tudo o que todos sempre amaram sobre a Nintendo ainda está por aí. Continua sendo feito e seus jogos não perderam aquele sentimento clássico. No caso do Metroid Prime 3: Corruption, por exemplo, o sistema do jogo foi levemente alterado para funcionar com o Wii remote. E ele FUNCIONA.

Então, estou apenas pensando, qual é o problema de todo mundo? Toda vez que a Nintendo lança um jogo que NÃO seja voltado para adultos, seus fãs tem um ataque e dizem que foram esquecidos. Isso é mesmo verdade? Eu acho que não.

Pessoalmente, eu acredito que foi o público que abandonou a Nintendo. Todo mundo foi “promovido” à uma “liga superior” em relação aos games. Todos querem melhores gráficos, melhores sangues, melhores partidas online. Isso pode ser comparado quando você vira as costas para sua família porque cresceu e acha que eles são bobos e que apenas seus novos amigos são legais.

Mas o que acontece quando você muda para um desses outros sistemas? Quando você descobre que todos estão jogando online? Você tem que aturar execrações, racismo, crianças que acham que podem causar ofensas verbais, crianças que ganham jogos proibidos para menores, de pais que não se importam ou não prestam atenção… Claro, o público pode ter “amadurecido” com a idade, mas ele pode não ter amadurecido no comportamento.

dori_nin3_24.11.08 Os jogos que eu vejo na biblioteca das outras empresas são títulos que me passam a imagem de que farão os jogadores facilmente se tornarem agressivos. Honestamente, esses games me fazem pensar que essas pessoas nem mesmo gostam dos títulos que jogam. E se gostam, elas não sabem como demonstrar isso.

Voltando no tempo, eu me lembro de pessoas dizendo umas para as outras: “Cara, me pegou de jeito. Esse é mesmo um bom jogo! Obrigado!” Atualmente, você apenas escuta: “Ah, meu Deus! Você é um trapaceiro! Pare de APELAR! JESUS, você é F**A! Eu vou chutar o seu TRASEIRO, neguinho!" Será que apenas eu não cresci ouvindo esse tipo de coisa? Será que eu não era tão “madura” quanto o restante das pessoas? Porque apesar do público ter envelhecido e o nível de maturidade dos jogos supostamente ter evoluído junto com eles, porque eu não sinto nenhuma “maturidade” quando eu jogo esses games?

Infelizmente, nós não seremos capazes de interromper a nova geração de jogadores. As coisas mudam. Mas você não acha interessante, para ser honesto, que a Nintendo realmente NÃO tenha mudado? A Nintendo sempre esteve cercada por uma atmosfera de diversão, com uma bela cara sorridente embaixo de um chapéu, macacão e um bigode. Mesmo durante a guerra dos consoles, mesmo com um novo tipo de controle, mesmo com um portátil que faz uso da funcionalidade de uma tela sensível ao toque ao invés dos típicos botões, a Nintendo continua tendo a mesma alegria que ela sempre teve.

A Nintendo relançou jogos clássicos para seus portáteis e através de downloads pela internet. São os mesmo jogos que nós sempre amamos. Eles até mesmo recuperaram velhos sistemas que estavam mortos e relançaram os seus jogos. O nosso passado continua o mesmo, nos cobrando para que não esqueçamos dele.

Honestamente, há mais uma coisa que o Wii pode nos proporcionar e é o conteúdo das desenvolvedoras terceirizadas. Mas essa é a parte triste, todos estão muito temerosos em tocar neles. Os jogadores não querem dar uma chance a eles porque esse conteúdo não “cresceu” junto com eles e pensam que não há bons jogos para o console. Mas não há “bons” jogos porque as 3rd-party estão com medo de fazer jogos para uma tecnologia que elas não entendem. Se houvesse ou pouco mais de persuasão por parte dos fãs da Nintendo, apenas um pouco mais de vontade, eu acho que encontraríamos um pouco de material realmente intrigante no Wii. Infelizmente, já faz quase dois anos (do lançamento do Wii) e AINDA nada aconteceu.

dori_nin4_24.11.08 As vezes eu me pergunto, sabia? Sonic… todos se lembram do Sonic, certo? Voltando no tempo, sempre houve uma batalha – quem era melhor? Sonic? Mario? O Sonic é outra peça da nossa infância que ninguém está disposto a virar as costas. Mesmo a Sega quase tendo desaparecido, as pessoas AINDA depositam esperança nos jogos do Sonic, mesmo que você assuma que a maioria dos jogos recente do personagem sejam verdadeiras bombas.

Então, porque tanta lealdade a um personagem praticamente morto, mas não a um personagem e a uma empresa que permanecem vivos e bem? Isso me deixa um pouco perplexa.

Então, diga o que quiser. O que acredito que fará. Eu não estou dizendo para você gostar ou apreciar tudo que eu gosto, mas no fim do dia, quando tudo estiver dito e feito, quando eu estiver cansada do drama e da imaturidade dos jogos “maduros”, haverá um lugar para onde eu voltarei. Eu sempre volto para onde me lembra a casa; No fim, A Nintendo é o que continua me fazendo feliz. A Nintendo é realmente onde eu estou feliz.

E, isso é apenas pessoal, mas se a Nintendo para de fazer jogos, eu pararei de jogar.”

-------------------------------------

Sinceramente, eu não sei dizer ao certo o que me fez gostar tanto deste texto. Talvez seja pela admiração em ralação a criatividade da Nintendo, talvez por achar que a empresa é um tanto quanto injustiçada por muita gente, ou simplesmente devido a autora ter parecido bastante sincera em seu depoimento, mas o fato é que concordo com a Kaylin quando ela diz que o problema não está na BigN já que ela continua fazendo o que sempre fez. Consigo perceber isso quando vejo alguma criança jogando os games da empresa e se divertindo da mesma forma que eu e meus amigos nos divertíamos quando éramos pequenos.

Será que de vez em quando não vale a pena ter uma síndrome de Peter Pan e aproveitar esses jogos, mesmo que tenham sido feitos para os menores?

relacionados


Comentários