Meio Bit » Games » Para ex-BioWare, fracasso do Anthem não significará o fim do estúdio

Para ex-BioWare, fracasso do Anthem não significará o fim do estúdio

De acordo com um dos funcionários mais importantes da BioWare, podemos ficar tranquilos, pois um possível fracasso do Anthem não deverá fazer com que a EA feche o estúdio.

25/07/2018 às 8:53

Ainda tentando se recuperar das muitas críticas que recebeu por causa do conturbado lançamento do Mass Effect: Andromeda, a BioWare tem apostado alto no Anthem e por isso há até quem acredite que se este fracassar, poderá representar o fim da empresa.

Quem disse acreditar que essa preocupação é exagerada foi James Ohlen, um dos principais nomes da BioWare e que pelos últimos 22 anos esteve envolvido na criação de títulos como Neverwinter Nights, Knights of the Old Republic, Jade Empire, Dragon Age: Origins, Star Wars: The Old Republic, Mass Effect: Andromeda e o próprio Anthem. Recentemente o game designer anunciou a sua saída do estúdio e ao conceder uma entrevista à revista GameInformer, ele disse:

Eu acho que a EA está olhando para a BioWare como parte da companhia a longo prazo. Acho que a EA realmente respeita o que a BioWare lhes trouxe. A BioWare é muito diferente de todos os outros aspectos dos seus negócios, então mesmo se o Anthem não se sair bem — e acho que ele será fantástico —, mas se ele não for um grande sucesso, não acho que será o fim da BioWare. Penso que ele será apenas uma chance para a BioWare aprender algumas lições e aplicá-las no próximo jogo que for lançado.

Outro ponto comentado por Ohlen foi sobre o quão diferente o Anthem promete ser se comparado com os títulos anteriores da BioWare. Para ele, a capacidade do estúdio de assumir risco e pensar fora da caixa são algumas das suas principais qualidades. Para ilustrar o seu raciocínio, ele citou o lançamento do Neverwinter Nights em 2002 ou o do Star Wars: The Old Republic em 2011, títulos que fugiram bastante do padrão em que eles vinham trabalhando até então.

O interessante é que de acordo com o sujeito, a teoria da conspiração levantada por muitos fãs de que a EA tem guiado os rumos da BioWare são infundadas. Ohlen afirma que a desenvolvedora sempre teve total autonomia para tocar os seus projetos, o que me faz pensar que se erros foram cometidos, toda a responsabilidade deve ser jogada sobre as costas das pessoas que comandam o estúdio.

Por fim, o game designer também foi questionado sobre arrependimentos e disse que se pudesse, teria feito o MMO baseado na franquia Star Wars mais parecido com um Knights of The Republic online do que aquilo em que ele acabou se tornando, algo como um “Star Wars World of Warcraft”. Mesmo dizendo ter orgulho do que eles entregaram com o The Old Republic, Ohlen disse que muitas pessoas vivem dizendo que esperavam algo mais próximo do que a BioWare fez com o antigo RPG e para ser ser sincero, eu também acho que teria sido muito melhor.

Quanto ao Anthem, o jogo será lançado em 22 de fevereiro, com versões para PC, PlayStation 4 e Xbox One, e ao contrário do que defende James Ohlen, acho sim que se ele não fizer algum sucesso comercial, a BioWare terá tempos bastante nebulosos pela frente.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários