Meio Bit » Filmes e séries » O Mecanismo — assistimos os primeiros episódios da nova série da Netflix Brasil

O Mecanismo — assistimos os primeiros episódios da nova série da Netflix Brasil

Confira como foi a coletiva de lançamento de O Mecanismo, a segunda série original da Netflix Brasil que estreia no dia 23/03, e também nosso relato sobre os primeiros 3 episódios. A produção é de ótimo nível, com direção e fotografia excelentes. O elenco conta com Selton Mello, Caroline Abras, Enrique Diaz e Jonathan Haagensen, entre outros.

22/03/2018 às 14:01

O MB esteve semana passada na coletiva de lançamento da série O Mecanismo no Copacabana Palace. Esta é a segunda produção nacional da Netflix, a série é uma criação de José Padilha (Tropa de Elite 1 e 2, Narcos e o remake de RoboCop) e da roteirista Elena Soarez (Cidade dos Homens), e será lançada globalmente pela Netflix nesta sexta (23/03).

O MB teve acesso aos 3 primeiros episódios, Lava Jato, Halawi e Ventos frios vindos do Sul, o piloto dirigido por José Padilha, e os outros dois por Felipe Prado. A produção é de ótimo nível, com direção e fotografia excelentes (Azul Serra e Lula Carvalho). A trilha sonora de Antonio Pinto também é excelente, e ajuda a dar o clima da série. Ele é o compositor de Cidade de Deus, além de vários filmes internacionais. O curioso é que ele também foi o compositor do filme Lula, o Filho do Brasil, que tem uma postura bem diferente da série O Mecanismo.

Uma boa série começa por um roteiro bem escrito, e O Mecanismo vai muito bem neste quesito, mostrando o lado humano dos seus heróis e também dos vilões, cutucando poderosos incluindo ex-presidentes e o vice que tomou o trono, e especialmente mostrando o drama particular de Ruffo ao tentar prender seu amigo de infância, o doleiro que cuidava de todo o esquema.

O elenco conta com Selton Mello e Enrique Diaz afinados como a dupla de antagonistas. Carol Abras também está ótima como a agente federal Verena. Na coletiva de lançamento, feita um dia depois do assassinato de Marielle Franco, o tema inevitavelmente veio a tona. Para Jonathan Haagensen, a morte dela foi emblemática, mas infelizmente só mostra o que acontece diariamente nas comunidades, especialmente com mulheres negras.

Na entrevista, José Padilha também falou muito de política e corrupção, mostrando como o dinheiro é a graxa que movimenta toda a engrenagem. Para ele, um dos maiores problemas para se desmantelar o mecanismo no Brasil é que por aqui a ideologia fica em segundo plano perto dos imensos lucros, de todos os lados. A série procura ser isenta, e já começa citando os principais partidos políticos envolvidos no funcionamento do mecanismo.

É interessante acompanhar nas soluções para contar uma história inspirada em fatos reais no Brasil, depois da experiência de Padilha gravando a série Narcos na Colômbia. No final das contas, a julgar pelos 3 primeiros episódios, O Mecanismo parece um filme nacional, mas digo isto como um elogio. Um daqueles muito bons, com roteiro bem escrito e ótimo ritmo, algo que o diretor sabe fazer muito bem. Agora é esperar até amanhã para conferir os próximos episódios. Eu confesso que já fui fisgado pela trama.

Clique abaixo para ver o vídeo da coletiva.

relacionados


Comentários