Meio Bit » Fotografia » GoPro acaba de assassinar o Karma — futuro da empresa é incerto

GoPro acaba de assassinar o Karma — futuro da empresa é incerto

A GoPro encerra a produção de seu drone chamado Karma e demite 20% da força de trabalho para equilibrar as contas. Futuro da empresa é incerto.

08/01/2018 às 20:38

gopro-karma

Bem, quem acompanhou essa história sabia que não ia acabar bem para a empresa. Em 2016 a GoPro, famosa fabricante de câmeras de ação, decidiu entrar no crescente mercado de fabricação de drones domésticos. O que eles colocaram no mercado foi um aparelho chamado Karma. O brinquedo tinha um design muito bacana, já vinha com uma GoPro acoplada e o sistema de estabilização durante a filmagem era algo muito interessante. No mesmo ano eles iriam competir com o lançamento do Mavic Pro da DJI que, tanto no papel quanto nos testes práticos, superou o produto da GoPro. Porém, o pior ainda estava por vir.

Se já não bastasse estar concorrendo contra um produto melhor tecnicamente, o Karma começou a apresentar um erro fatal em novembro de 2016. O drone simplesmente desligava durante o voo e mergulhava para a morte. Os consumidores começaram a relatar esse problema e a empresa decidiu recolher todas as unidades vendidas para um recall. O Karma voltou às prateleiras apenas em fevereiro de 2017 quando foi anunciado que o problema do equipamento estava na bateria. Infelizmente o produto da DJI já estava famoso entre os consumidores e o Karma ficou conhecido como o drone defeituoso da GoPro.

A situação insustentável da empresa ficou conhecida essa semana. A GoPro anunciou que está abandonando o negócio de drones e, para equilibrar as despesas, vai demitir 20% da força de trabalho. Os ganhos estimados de US$ 470 milhões para o 4º trimestre de 2017 vão ficar em US$ 340 milhões. As ações despencaram 30% nessa segunda feira e o CEO Nicholas Woodman também está reduzindo seu salário para US$ 1 este ano.

Segundo a empresa, o que os levou a desistir do mercado de drones foi a alta competição do setor e as políticas regulatórias cada vez mais hostis nos Estados Unidos e Europa. Ninguém citou a incapacidade da empresa em fazer um produto de boa qualidade e preço condizente. A cereja do bolo de toda a história é a notícia dada pelo CEO de que está considerando vender a empresa ou achar uma empresa parceira para investir no negócio da GoPro. Porém, ele afirma que o principal desejo é continuar independente. Clássico caso de empresa que tentou fazer mais do que as suas capacidades e agora está pagando um alto preço.

Os estoques do Karma já foram todos vendidos e a fabricação já foi encerrada. A GoPro garante que a assistência técnica está garantida para os proprietários do aparelho.

relacionados


Comentários