Meio Bit » Áudio e vídeo » Woz também não quer o fim do conector do fone de ouvido

Woz também não quer o fim do conector do fone de ouvido

Woz defende a continuidade do conector do fone de ouvido, que a Apple desejaria matar; para ele, “raramente a excelência vence a conveniência”.

24/08/2016 às 9:37

steve-wozniak

A suposta intenção da Apple em matar o conector clássico do fone de ouvido, que ainda não sabemos com 100% de certeza se é real pode ter se tornado o smartwatch da vez: tão logo os boatos de que a maçã faria um relógio esperto começaram a circular todo mundo correu e lançou suas versões antes dela, e agora ocorre o mesmo: a Lenovo foi a primeira grande fabricante a apostar exclusivamente no conector USB-C, interface que até a Intel defende como melhor para áudio.

Só que o guru Steve Wozniak não concorda com esse movimento, e tem sólidos argumentos para defender o P2 estéreo (ou TRS para os íntimos).

Em entrevista ao site The Australian Financial Review, Woz diz acreditar que a ideia de forçar a substituição do conector clássico por mais modernos apenas por questões técnicas (menor espaço interno ocupado, o que para a Apple representaria um iPhone mais fino e elegante; nunca que se refletiria em melhor bateria) ou por excelência e praticidade, visto que as portas Lightning e USB Type-C podem transmitir tanto áudio quanto dados e energia não é uma decisão inteligente. Com razão o guru diz que tal movimento “vai enfurecer muita gente”, ao passo que esses serão obrigados ou a apelar para fones de ouvido Bluetooth (YAY mais um gadget para ser carregado!) ou adaptadores Lightning/USB-C para P2 estéreo, a fim de não inutilizar os atuais.

Fones com as portas novas? De longe mais frágeis que o TRS, e uma força extra danificaria tanto o conector macho quanto o fêmea e como isso caracteriza mau uso e é um reparo que ninguém faz, a morte da porta no smartphone ou tablet significaria comprar outro. Sem falar na inconveniência que não dá para carregar/transmitir dados e ouvir música ao mesmo tempo, se não for via acessórios wireless.

Woz mesmo seria um desses que ficaria extremamente decepcionado com um iPhone sem o conector TRS. Ele é fã de conexões cabeadas, seu fones utilizam plugues customizados para suas orelhas (ele dorme com eles inclusive) e não confia tanto em Bluetooth para execução de áudio. Mesmo quando dirige Wozniak prefere plugar o smartphone via P2, por achar que o som via Bluetooth é inferior.

Woz diz que se a Apple forçar os novos compradores de iPhones a comprarem um adaptador para utilizar os fones antigos (há informes de que ela os enviará gratuitamente com cada novo smartphone mas sinceramente? Duvido), ele seria um dos que o faria. Por fim, o guru defende que “quando conveniência e excelência se enfrentam, raramente o segundo vence”. E é verdade, diversas tecnologias mais poderosas foram preteridas por outras menos capazes por terem mais apoio popular (Betamax vs. VHS, principalmente porque o pr0n abraçou o segundo formato) ou porque simplesmente eram mais simples.

A Apple deveria utilizar a recepção do Macbook que vem apenas com uma porta USB-C como termômetro. Ainda que aconteça mesmo do conector P2 sumir é fato que muita gente vai reclamar, e Woz, mesmo continuando a ser o primeiro da fila como todos os anos ainda não engoliu essa, e tem razão em apontar os erros.

Fonte: The Australian Financial Review.

relacionados


Comentários