Meio Bit » Hardware » Da série Internet das Coisas Inúteis: garrafa de vinho Wi-Fi

Da série Internet das Coisas Inúteis: garrafa de vinho Wi-Fi

Este é um belo caso de solução à procura de um problema inexistente: conheça Kuvée, a garrafa de vinho conectada que funciona com “refis” exclusivos.

4 anos e meio atrás

kuvee-wi-fi-wine-bottle

Mai um daqueles casos em que você olha e pensa que se não fossem os excelentes exemplos de gigantes como a PTC ou a SAP a Internet das Coisas seria uma bela furada, um hype e nada mais.

Se bem que desta vez a parte duvidosa não é nem do fabricante, este é o esperto. Já quem compra uma garrafa de vinho como a Kuvée tem alguns probleminhas. Eu explico.

A ideia por trás da Kuvée em si não é tão estúpida se pararmos para pensar, porque ela trabalha em torno de algo bem sutil. A proposta é a seguinte: o "casco" inteligente se conecta à rede-Wi-Fi e fornece informações detalhadas da garrafa de vinho acoplada a ela, que desnecessário dizer funciona como um refil exclusivo. Além de seu formato ser especialmente desenhado para a capa, ela possui uma tampa pressurizada que a mantém bem selada quando não é consumida.

kuvee-001

A Kuvée possui uma tela touchscreen que exibe as informações acerca do vinho que está servindo como procedência, ano de produção, curiosidades sobre a vinícola e etc., além de opções para compra de novas garrafas no ato. Já o refil em si é um tanto duvidoso: contrariando todo o bom senso e para deixar qualquer sommelier de cabelos em pé ela não é de vidro, e sim de alumínio. A desculpa dada é para conservar o vinho por mais tempo (até três dias) mas francamente, quem em sã consciência não gosta de ver o que está bebendo?


Welcome to Kuvée

O problema da Kuvée é ser um produto que não se adequa a nenhum dos dois extremos. Os sommeliers e amantes dos bons vinhos jamais irão aceitar tal tipo de produto, mesmo com as ditas parcerias com dezenas de vinícolas (que sejamos sinceros, não devem incluir as mais renomadas do mundo simplesmente porque elas têm um nome a zelar). Eles simplesmente irão adquirir as versões tradicionais, em garrafas de vidro. Já os curiosos que gostam de algo com mais qualidade de vez em quando mas que bebem de tudo um pouco dificilmente irão investir US$ 199 no kit com a Kuvée e quatro garrafas de amostra.

Este é um produto que apela mais aos geeks e entusiastas da IoT que acham o máximo a geladeira que tuíta, quando não percebem o real plano de negócios da startup: o negócio dela é ganhar dinheiro não com o casco inteligente e sim com os vinhos em garrafas de alumínio. A Kuvée não aceita outro tipo de vasilhame, o que cria um modelo semelhante ao das impressoras jato-de-tinta: o ouro não é o hardware, mas a tinta. Neste caso o vinho, com refis custando entre US$ 15 e US$ 90, dependendo da procedência.

Como rato de sacristia que fui (mas o Canônico é muito ruim) eu gosto de um bom vinho, mas nunca que me veria numa situação tendo que comprar vasilhames de alumínio para justificar a Kuvée. Agora, se achou o produto interessante você pode encomendar a sua aqui, enquanto a campanha do IndieGoGo está rolando.

Pelo menos o review do The Verge conseguiu me fazer rir a beça:


The Verge — The gloriously dumb Wi-Fi wine bottle of the future

relacionados


Comentários