Meio Bit » Indústria » GE vai deixar de fabricar lâmpadas fluorescentes compactas nos EUA em prol do LED

GE vai deixar de fabricar lâmpadas fluorescentes compactas nos EUA em prol do LED

GE vai deixar de fabricar lâmpadas fluorescentes compactas nos EUA; ideia é forçar a adoção dos modelos de LED, que são mais econômicos

02/02/2016 às 13:32

ge-led-lightbulb

Lâmpadas, os grandes vilões do consumo energético principalmente se sua casa ainda possui as velhas incandescentes. A maior parte da energia elétrica consumida se converte em calor e não luminescência, e por causa disso o modelo de 60 W, o outrora mais consumido no país foi banido. A ideia era forçar o consumidor a migrar para as fluorescentes compactas e de LED, mais caras porém muito mais econômicas.

Nos Estados Unidos a GE está indo um pouco mais além: ela vai deixar de fabricar as CFL (lâmpadas fluorescentes compactas) e se focar exclusivamente no LED.

A transição dos consumidores das antigas incandescentes para os modelos mais energeticamente eficientes é morosa, principalmente em lugares onde as incandescentes são muito mais baratas. O consumidor médio não percebe que mesmo que gaste bastante para trocar tudo por LEDs num primeiro momento, em alguns meses a economia na conta de luz irá compensar o investimento. Pelo contrário, ele só vê uma lâmpada de R$ 30 ou mais contra a antiquíssima de Thomas Edison de uns R$ 3, que vai queimar rápido, consumir uma energia louca e retornar muito pouco disso em luz.

Aqui o movimento do governo foi forçar o consumidor a migrar para a fluorescente proibindo as incandescentes mais baratas, mas o fato é que mesmo essas não são tão eficientes assim: elas consomem menos energia, claro, mas possuem um problema sério: elas possuem aversão ao “efeito vagalume”: não são resistentes quanto deveriam se são ligadas e desligadas constantemente. Em uma empresa isso não é problema, mas numa residência?

Para esses casos as lâmpadas de LED eletrônicas são a melhor opção. Ligou, potência máxima sempre e no fim de sua vida útil elas apenas sofrem redução na luminescência, ou seja: elas não queimam e você não ficará no escuro. Até o Super Bowl viu que LED é o futuro.

A GE sabe disso, mas ela também vende CFLs, lâmpadas halógenas e incandescentes além das LEDs, mas enquanto a última será abandonada a longo prazo, a primeira irá desaparecer das prateleiras norte-americanas em 2017: a General Electric anunciou que até o fim deste ano encerrará a produção das fluorescentes no país para se focar apenas no LED como modelo de lâmpada eco-consciente.

O movimento tem como foco manter a GE alinhada com as diretrizes do consórcio Energy Star, além de que uma CFL possui uma série de componentes poluentes que podem agredir a natureza se descartadas incorretamente. Além disso, caso se tornem mais populares o preço irá baixar eventualmente, permitindo que mais pessoas possam ver a migração com bons olhos.

Não há indícios de que a GE irá adotar tal medida no Brasil, mas seria interessante até em tempos de crise energética e bandeira vermelha na conta de luz dar um empurrãozinho que mesmo sendo um investimento alto a princípio, a troca das lâmpadas para modelos de LED poderá ser muito vantajosa a médio prazo.

Fonte: The Verge.

relacionados


Comentários