Meio Bit » Hardware » ONG Checa lança o Wi-Pobre

ONG Checa lança o Wi-Pobre

A idéia é surreal. WiFi4Life — uma ONG Checa resolveu que a melhor forma de lidar com o problema dos sem-teto é… transformando-os em hospots Wi-Fi, afinal se é pra desumanizar vamos desumanizar em algo útil. A idéia dos caras era oferecer abrigo, comida e dinheiro em troca de trabalho. Qual trabalho? Ficar parado o dia inteiro nos lugares onde costumavam ficar… parados o dia inteiro.

30/10/2015 às 13:45

maxresdefault (1)

Em 1729 Jonathan Swift, mais conhecido como autor d'As Viagens de Gulliver publicou um texto chamado "A Modest Proposal", era uma sátira onde pretendia resolver o problema da extrema pobreza dos irlandeses criando um mercado onde estes venderiam seus filhos para os ricos, que os utilizariam como fonte de alimento.

O texto descreve a proposta em detalhes, em um crescendo que ultrapassa as raias do absurdo, ressaltando as condições (reais) de extrema pobreza dos irlandeses e caprichando no sarcasmo ao mostrar como a aristocracia poderia colaborar, comendo as crianças. Com batatas.

Como estupidez não é monopólio dos comentários de portais, na época muita gente não conseguiu entender que era uma sátira, houve quem protestasse veementemente contra a tal proposta.

Em verdade o grande alvo de Swift, mais que a aristocracia eram os bem-intencionados que desconheciam totalmente as condições sociais do problema e propunham soluções mágicas e totalmente irreais, uma prática que continua comum até hoje. Gente que não entende a complexidade de um problema acha que tem uma solução simples prática e que ninguém nunca jamais havia pensado.

Agora a WiFi4Life, uma ONG Checa, apareceu com uma solução digna de Swift.

O problema? Os sem-teto morando nas ruas de Praga, sem dinheiro ou emprego. O objetivo seria tirar essa gente das ruas, mas isso dá trabalho, então pensaram em uma alternativa: em troca de comida, roupas e vaga em um abrigo o sem-teto tem que… ficar na rua.

O sujeito ganha emprego de hotspot Wi-Fi ambulante. Isso mesmo. De ser humano ele é rebaixado a um bolso com um hotspot 3G.

A idéia é que pessoas que precisem de Wi-Fi procurem pelos mendigos, deem bom-dia, puxem o celular e acessem internet pelo DataPobre.

Mais ainda: os sem-teto também ganham baterias para oferecer cargas grátis. Claro, nada faz mais sentido do que você ficar parado na rua, entregar seu celular para um sem-teto e esperar calmamente uns 10 minutos até ele pegar uma carga decente.

Ruptly TV — Czech Republic: NGO turns Prague's homeless into WIFI hotspots

Diz a ONG:

Nós escolhemos sem-tetos porque eles já estão nas ruas e a maior parte do tempo não têm o que fazer e nós queríamos que eles começassem a trabalhar

Um dos sem-teto diz que gostou do projeto, jornais e revistas eram muito pesados e ele tinha que vender, já o hotspot Wi-Fi é mais leve e ele não precisa fazer nada, o acesso para os usuários é gratuito.

Jonathan Swift se orgulharia de uma proposta para ajudar sem-teto que se resume a pagar para que eles não façam nada. Faria mais sentido economizar a grana dos hotspots e repassar direto pros caras.

Ah sim, óbvio que os gênios não estão fazendo isso com o próprio bolso, a proposta de mudar a vida dos sem-teto via Wi-Fi fazendo que eles ganhem dinheiro sem fazer nada seria financiada via crowdfunding, mas dos 5.500 euros almejados para os dois meses iniciais só conseguiram 388.

Espero que os autores da idéia tenham guardado alguns desses hotspots pra uso próprio…

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários