Meio Bit » Ciência » Será que descobriram uma base alienígena em Ceres? (spoiler: não)

Será que descobriram uma base alienígena em Ceres? (spoiler: não)

A NASA descobriu uma base alienígena em Ceres? Bem, como não somos a Super, o History ou a Galileu, você já sabe que a resposta é não, mas nem por isso a descoberta deixa de ser muito legal. Clique e veja a imagem que vai deixar os ufeiros agitados por um bom tempo…

27/02/2015 às 17:02

ceres_br

Ceres, via Hubble

Ceres é um dos maiores planetas anões do Sistema Solar, mas com reles 950 km de diâmetro, desde sua descoberta em 1801 foi pouco mais que um pontinho nos maiores telescópios. Mesmo com o Hubble e um auxílio do zoom digital, não dá pra ver muita coisa. Não que eu esteja reclamando, mesmo com lentes zerinho tiradas da caixa não consigo enxergar tão bem algo que está entre Marte e Júpiter.

Isso está sendo resolvido com este brinquedo aqui:

KSC-07PD-1269

Esta é a Dawn, lançada em 2007 para explorar asteróides e planetóides. Como todo mundo ela deu uma passada por Marte para pega um empurrão e em 2011 entrou em órbita de Vesta, um batatão de 525 km de diâmetro no Cinturão de Asteróides.

Graças a sua revolucionária propulsão iônica, a Dawn viajou por anos, acelerando pacientemente, apesar de alguns engasgos. Primeiro uma depois duas das rodas de reação deram defeito, forçando os engenheiros da NASA a criar novos protocolos de manobra, usando a propulsão iônica, e em último caso os propulsores de hidrazina.

Em 11/9/2014 o sistema de propulsão iônica desligou, entrou em safe mode. A teoria foi que um próton ou outra partícula maldita acertou um dos componentes, confundindo o controlador. A solução foi a mesma usada mais tarde, quando a Dawn perdeu capacidade de alinhar a antena principal com a Terra.

Usaram a sugestão de Roy Trenneman, desligaram e ligaram de novo. O motor e a antena voltaram a funcionar. As rodas de reação, infelizmente não tem muito jeito, é desgaste de hardware. Coisas girando muito rápido tendem a quebrar mais cedo ou mais tarde. Sim, vai acontecer com seu HD também.

Aqui uma visão rápida da missão, narrada pelo Eterno Leonard Nimoy:

Jeff Quitney — Dawn, Mission to the Asteroids Vesta & Ceres 2007 NASA JPL Leonard Nimoy 720 HD

Aproximando-se de Ceres a Dawn transmitia imagens cada dia mais nítidas, em especial de uma antiga curiosidade: uma zona de brilho diferenciado se destacava na superfície do pequeno planeta. Veja:

w640

Na vida real não existe ENHANCE!, só paciência, e a espera foi recompensada. Bem mais próxima a Dawn já consegue mandar imagens bem mais detalhadas, e o resultado é, ref(v)erenciando Spock… Fascinante:

Dwarf-Planet-Ceres-Two-Bright-Lights

Em ciência às vezes o não são é muito mais excitante que o simples conhecimento. Asimov dizia que as maiores descobertas surgiram de um “hum, isso é estranho”. Os pontos provavelmente são uma camada de gelo ou outra substância refletindo a luz do Sol. A superfície de Ceres aliás é feita de gelo e pedra, e há a suspeitas de que haja um oceano debaixo dessa casca:

ceres-layers-surface

Dia 6 de março a Dawn entrará em órbita de Ceres e encherá a galeria oficial com imagens, além de produzir toneladas de ciências com seu espectrômetro multiespectral e seu detector de nêutrons e raios gama.

Ela será a primeira sonda a estudar em detalhes um planeta-anão. Batendo a New Horizons, que chegará em Plutão 4 meses depois. Durante um ano milhares de perguntas serão respondidas, outras tantas surgirão, em nossa eterna busca pelo conhecimento.

Depois disso a NASA dará por encerrada a missão. A Dawn está muito danificada, toda a hidrazina dos jatos de manobra será usada para manter a sonda alinhada com a Terra, mudar a posição para estudar partes específicas de Ceres, e no final não haverá suficiente para uma missão estendida. Originalmente ela iria partir para encontrar o asteróide Pallas.

Em vez disso ela continuará em órbita de Ceres, para sempre. Sem as rodas de reação e com os tanques de hidrazina esgotados, ela girará lentamente, incapaz de mandar um sinal direcional para a Terra. Gosto de imaginar que seus últimos comandos recebidos sejam uma mensagem a ser armazenada e transmitida enquanto os painéis solares funcionarem, transformando uma sonda moribunda após sua missão cumprida em um farol, espalhando para o Universo as boas novas, de que, em uma pequena bola de lama em uma estrela ordinária, a Vida surgiu e ousou explorar sua vizinhança.

Leia mais sobre: , , , , , , .

relacionados


Comentários