Meio Bit » Hardware » Google Glass entra em nova fase; programa Explorer chega ao fim

Google Glass entra em nova fase; programa Explorer chega ao fim

Google Glass evolui de experimento para projeto independente sob liderança de Tony Fadell, o “pai do iPod”; modelo Explorer deixará de ser vendido

16/01/2015 às 9:31

google-glass

Já se passaram quase dois anos e o Google Glass ainda não mostrou a que veio. Mountain View o tem promovido de forma comedida, e para completar o interesse interno e externo pelo gadget meio que arrefeceu. Isso não significa que a empresa abandonou o wearable: ele agora entra em nova fase, sob nova direção e algumas mudanças serão feitas, algumas drásticas – mas necessárias.

Para começar o Google Glass deixará de ser um experimento: o projeto está sendo movido dos laboratórios Google X par a uma unidade de desenvolvimento própria, sob a liderança de Tony Fadell. Para quem não lembra, ele é o engenheiro considerado o “pai do iPod” e é também o fundador da Nest, a empresa de dispositivos voltados à Internet das Coisas que lançou aquele termostato fashion — que ainda é vendido pela maçã — que os macfags adoravam até sua startup ser adquirida pelo Google.

O lado negativo dessa mudança de direção no desenvolvimento do Glass é que o gadget ficará restrito às muralhas do Google, e não mais será oferecido como vinha sendo até então: isso porque o programa Explorer, que oferecia o gadget por pra lá de salgados US$ 1,5 mil será encerrado no dia 19 de janeiro, e portanto ele será tirado do mercado. Quem comprou, comprou; quem não comprou, só no lançamento comercial.

Embora o Glass não seja mais disponibilizado, isso não quer dizer que o movimento do Google é ruim: ao concentrar o desenvolvimento apenas entre os engenheiros da companhia — como vem sendo feito com o Project Ara — há grandes chances do projeto finalmente evoluir. Convenhamos, desde o início do projeto Explorer não vimos nenhuma atualização significativa nos óculos espertos, principalmente no que diz respeito a hardware: há planos da Intel substituir a Texas Instruments e fornecer um processador melhor e mais econômico, e agora que o Glass será removido do — pequeno — mercado ao qual é destinado, o de desenvolvedores interessados em escrever apps para ele é capaz que o Google tenha o tempo necessário para mexer no gadget sem interferência.

Fadell é um designer e empreendedor conceituado, e sob sua liderança é possível que o Google Glass finalmente seja transformado em um produto comercial acessível — leia-se barato — e plenamente funcional. Vamos aguardar.

Fontes: WSJ (paywall) e G+.

relacionados


Comentários