Meio Bit » Software » Chrome deixará de dar suporte ao Linux de 32 bits em 2016

Chrome deixará de dar suporte ao Linux de 32 bits em 2016

Depois do Windows XP, Vista e versões antigas do Mac OS X, Chrome deixará de dar suporte ao Debian 7, Ubuntu 12.04 LTS e todas as versões 32 bits do Linux

01/12/2015 às 13:30

chrome-linux

O Google não está mesmo disposto a manter o suporte do Chrome a versões defasadas de diversos sistemas operacionais. Depois de dar um pé na bunda do Windows XP, Vista e das versões 10.6 a 10.8 do Mac OS X, as vítimas que deixarão de ser amparadas por Mountain View são do mundo livre: o Debian 7 Wheezy, o Linux 12.04 LTS Precise Pangolim e surpreendendo alguns, todas as versões 32 bits do Linux.

As mudanças entrarão em vigor junto com a queda do suporte às versões de sistemas já anunciados, em março de 2016. A desculpa do Google é basicamente a mesma, “prover a melhor experiência possível”. Isso significa que os usuários dessas versões de SOs continuarão a receber patches de correções e de segurança por apenas mais quatro meses, e tão logo o suporte caia estarão sujeitos a vulnerabilidades encontradas posteriormente.

Deixar de dar suporte ao Ubuntu 12.04 é compreensível. Embora o suporte de longa duração da Canonical para essa versão seja mantido por cinco anos a companhia lança um novo do tipo a cada dois, o 16.04 também será um LTS. Tirar o suporte ao Debian 7 por outro lado é estranho, a versão 7.9 é recente mas já existe o 8, codinome Jessie.

O que surpreende no entanto é a decisão de remover completamente o suporte às versões 32 bits do Linux. Tudo bem que é cada vez mais difícil encontrar máquinas do tipo ainda funcionando, mas há quem ainda não abriu mão de seus antigos desktops movidos à lenha principalmente porque eles ganharam um novo fôlego rodando essas versões do pinguim.

O que vai acontecer: dificilmente esse pessoal estará disposto a comprar uma máquina nova, na melhor das hipóteses passarão a utilizar o Firefox, que ainda dá suporte às ditas versões do Linux. Isso ou migrar de vez para o Chromium, a versão de código aberto do Chrome mantida pela comunidade, o que for mais conveniente.

Fonte: Google Groups.

relacionados


Comentários